quinta-feira, 8 de julho de 2010

A aprender a poupar

Eu gosto de poupar! Poupar naquilo que posso e quero para poder gastar noutras coisas. Fazer poupanças e saber que se precisar tenho para gastar. Detesto esbanjar, desperdiçar, gastar só por gastar.

Quando vou ao supermercado, claro que comparo preços, compro muitos produtos de marca branca. Se me oferecem resultados de qualidade, porque hei-de gastar mais? Só se não gostar, ou não estiver totalmente satisfeita, é que prefiro os produtos de marca. E, assim, vou poupando uns trocos.

Sempre cresci e fui educada pelos meus pais a comprar apenas aquilo que posso. Por isso, e exceptuando a casa, porque de outra forma nunca a teria, não sei o que é comprar nada que não seja a pronto pagamento. Se tenho compro, se não tenho poupo até poder comprar, mesmo que isso implique meses ou anos de espera. Se não dá mesmo para ter o Ferrari, compra-se o Fiat. Se não dá para comprar novo, compra-se usado. Estou-me nas tintas para o "parecer". Não sei o que o futuro me reserva, mas espero continuar sempre a aplicar esta política nas despesas cá de casa.

Por outro lado, sinto que ando a conseguir gerir melhor certos gastos.

Não sou organizada ao ponto de fazer contas, de ter tudo numa folhinha de excel, tabelas de preços, e mais não sei o quê... Isso não faço, se calhar porque nunca senti necessidade de controlar as finanças cá de casa, mas sinto que cada vez gasto melhor.

Para mim gastar melhor significa gastar cada vez menos em coisas que não preciso, que não me fazem falta.

Se há coisas que posso e sei fazer porquê ir comprar ou mandar fazer?

Se posso reciclar porquê deitar fora?

Se o mais certo é só usar 1 ou 2 vezes, valerá assim tão a pena comprar ou gastar tanto?

Etc., etc., etc...

Os saldos. Está oficialmente aberta a época de saldos. São uma excelente oportunidade de comprar roupa e outras coisas a preços muito mais simpáticos. Porém, não tenciono ir aos saldos. Pode parecer estranho, quando até há bem pouco tempo era isso que eu fazia - ir às lojas para ver o que existe ao preço da chuva.

Já cheguei à conclusão que os saldos são um logro. Quando preciso ou quero muito uma coisa não espero pelos saldos. Compro-a. E salvo raríssimas excepções, é um engano pensar-se que se poupa nos saldos. Os saldos não existem para o consumidor poupar, existem para o consumidor gastar. Os saldos criam necessidades que não existiam antes. Vemos isto e aquilo a 50/70%, ou até mais, de desconto e, automaticamente, pensamos que é uma burrice se não comprarmos, afinal é uma oportunidade única. E os saldos são isto, um somar de oportunidades únicas. O que comprámos fazia-nos tanta falta assim? Este é o chamado prazer ilusório das compras baratas.

Eu contra mim falo!

Ultimamente tem-me dado imenso gozo perder algum tempo a olhar para o roupeiro. Nem vos passa pela cabeça as coisas que tenho descoberto, o número de novas combinações que tenho para "estrear". Convidei-me a fazer este exercício. E vocês podem fazer o mesmo. Tudo se resume a pensar tudo de novo, como se tivessemos acabado de receber aquele guarda-roupa que está à nossa frente. Um exercício de formatação, de Reset. Este é um exercício realmente criativo, um verdadeiro desafio à imaginação. E no fim estamos a poupar.

Um dos grandes problemas com que actualmente nos debatemos é a quantidade de coisas que temos em casa, fruto de um consumismo exacerbado. Quase sempre vejo as pessoas a queixarem-se da falta de espaço para a roupa, para os sapatos, para um sem número de coisas.

A solução não está em dar ou deitar fora, quando no momento seguinte se vai comprar mais. Que raio de solução é essa? Significa desperdício atrás de desperdício.

Eu contra mim falo!

A solução não passa por inventar mil e uma estratégias de organização. Ajuda, mas não resolve.

Eu contra mim falo!

A tendência da maior parte de nós é pensar tudo ao contrário. Primeiro compra-se, depois logo se vê onde se coloca. Algum buraquinho há-de haver...

E hoje deu-me para desabafar, porque pensar em tudo isto cria-me defesas muito úteis na hora de gastar :)

17 comentários:

  1. Concordo com tudo! Mas não consigo resistir aos saldos... lol
    Também verdade seja dita, já quase não compro roupa fora desta época.

    Em relação a reciclar o guarda-roupa, não posso estar mais de acordo! Quando estive a fazer o desafio da Hazel de usar saias e vestidos durante um mês inteiro usei combinações que nunca tinha feito quase o tempo todo, porque erdade seja dita tinha poucos vestidos... A minha sorte foi ter estado Verão e Inverno no memo mês e usei todos os vestidos e saias que tinha em casa várias vezes...

    Ah e eu sou daquelas que se queixa de não ter espaço para pôr as coisas em casa. hihihih

    Sabes o que eu não deixo de pensar de nós, mulheres? Nós somos recolectoras por natureza. Está-nos nos genes! E é por isso que queremos sempre trazer algo para casa, nem que seja um pano para limpar o pó! lol

    Beijinhos. Bom post!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Não podia concordar mais com este post. Muito bom!
    Relativamente aos saldos, quanto a mim, compensa comprar roupas novas para as crianças. Já sabemos que no próximo ano eles estarão maiores e vão precisar de roupas novas, por isso vale mais comprar agora com 50% de desconto. Para os adultos, muitas vezes não passa de um capricho.
    O meu pai sempre disse: "O dinheiro não é de quem o ganha, mas sim de quem o poupa". Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito do teu post e, se achas que valeu a pena o teu desbafo, nós gostámos que o tenhas feito!
    Eu tento não gastar o que não devo mas, tenho alturas em que não me controlo. Aproveito os saldos para comprar o que me faz falta e é muito raro comprar algo sem ser em promoção ou a um preço exorbitante!
    A única peça de roupa em que gasto mais é em calças.
    Beijinhoschroxi

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo post. Revejo-me totalmente no que escreveste!

    ResponderEliminar
  5. Palavras para que... já me conheces um bocadinho! Sabes que penso exactamente da msma maneira. E é muito bom esse tipo de exercicio porque 1º nos dá oportunidade de rever a roupa que temos, depois de a arrumar e podermos organizar e no finla se achamos mesmo qua não vale a pena guardar oferecemos a quem mais precisa! Eu faço assim. Quanto as coisas cá em casa gosto de reciclar o que posso, mas parto tanta coisa ultimamente que de quando em vez tenho mesmo que comprar qualquer coisa para substituir!!!!

    Bjnhs

    ResponderEliminar
  6. Concordo em pleno! À excepção da roupa de criança (que guardo para comprar nestas alturas). Eu também não vou aos saldos, é nestas alturas que compramos coisas não por necessidade mas porque são baratas... e depois ficam no armário eternamente à espera de serem usadas, além disso nunca consigo encontrar aquilo que gosto/quero nos saldos!

    bj

    ResponderEliminar
  7. Concordo ctg!mas tenho coisas que deixo sempre para os saldos como por exemplo lingerie!sabe bem pgar o que se quer por menos do que está marcado!
    de resto sou muito poupadinha e nos dias que correm tem mesmo de ser!

    ResponderEliminar
  8. Bem este post dá cá um abanão ao cerbro!!!è verdade tudi tudi tudi.
    Às vezes basta utilizar um bocadinho do nosso tempo e rapidamente conseguimos poupar uns troquitos;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Fiquei.deveras, encantada e impressionada com a lucidez deste post.
    Parece um artigo das revistas de economia com a simplicidade de um blog.
    Aqui está uma dissertação para todos lerem e se reverem.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  10. Olá. É a primeira vez que visito o seu blog, e adorei o que acabei de ler. Parabéns .

    ResponderEliminar
  11. Concordo plenamente..muito bem escrito!

    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Olá! Gostei especialmente da ideia de olhar para o guarda roupa como se fosse tudo novo, vou tentar! Bom post!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Concordo com o que dizes dos saldos, muitas vezes compra-se mais do que se devia, só porque está muito barato. Resolvi esse problema este ano, fui ao meu armário e dei-lhe uma limpeza valente, limpeza no sentido de arrumar tudo e encontrar coisas que já não me lembrava que tinha. No final analisei o que realmente me faz falta e esperei pelos saldos para comprar apenas o que pretendia, assim fiz e assim poupei muito. Quero eu dizer que pode-se de facto poupar bastante nos saldos se soubermos exactamente o que queremos e só comprar isso :)
    Beijos grandes

    ResponderEliminar
  14. Bom o seu post. Não basta querer poupar, é preciso saber. Dá uma olhada aqui, tem umas dicas óptimas para quem quer aprender a poupar.

    ResponderEliminar
  15. Ando a cuscar o teu blog e não resisti ao que escreveste sobre as combinações de roupa.
    Cresci com duas peças novas de roupa por ano: uma no Natal para o inverno e outra no verão para o verão.
    O resto tinha de ser mantido e parte era que nos davam.
    Sempre tive pouca roupa e por isso sempre tive de usar a imaginação para não sentir que andava sempre com a mesma.
    Gosto tanto de roupa que criei um blog: roupa e acessorios.

    ResponderEliminar
  16. Acho que este artigo explica um pouco a filosofia do blog e ajuda a decidir o que cada um realmente precisa comprar nos saldos: http://roupa-acessorios.blogspot.com/2009/12/de-quanta-roupa-preciso.html

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo vosso comentário :)