segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Da minha relação com a máquina do pão

No seguimento do post anterior, por acaso não estava a pensar especificamente na Bimby, ao contrário do que alguns julgaram e outros me disseram. Porém, pode estar perfeitamente incluída nos ditos electrodomésticos. Porque não?

Sobre a Bimby já falei neste post e já dei a minha opinião. Não tenho mais a acrescentar, nem a retirar.

Mas posso, por exemplo falar, de um outro electrodoméstico que tenho, que alguns consideram "da moda" (eu também concordo que sim): a máquina do pão ou mfp.


Não é preciso procurar muito. Basta ir a um qualquer motor de busca, inserir "pão na mfp". Temos um sem número de testemunhos a falar do pão ultra, mega, maravilhoso que a máquina panificadora faz lá na sua cozinha.

"Lá na sua cozinha", digo bem. Porque na minha não faz!

Como máquina panificadora doméstica deixa muito a desejar.

E digo isto com grande convicção, porque até fiz questão de comprar uma máquina boa, eleita pela Proteste como a melhor do mercado na altura.

E digo isto porque, num espaço de 1 ano e pouco, já experimentei fazer um sem número de pães, com muitas e diferentes farinhas, seguindo sempre à risca as medidas das receitas, a ordem dos ingredientes e utilizando todo o tipo de fermentos.

Já experimentei desde as farinhas sem serem pré-preparadas às outras. Destas últimas, já usei da Nacional, da Branca de Neve, do LIDL, do Continente, eu sei lá que mais...

Já experimentei desde o fermento seco ao fermento fresco.

E acho que que já tive tempo, com tão vasto número de experiências, para fazer pelo menos um único pão na mfp que eu pudesse dizer: "Este é de comer e chorar por mais!"

O problema não está na máquina, nem na falta de experiência ou possível falta de jeito.

O melhor pão que fiz até hoje na mfp, fi-lo na semana passada, com farinha pré-preparada do LIDL (Ciabatta), que experimentei pela primeira vez, e onde fugi um bocadinho à receita do pacote.

Consegui um pão que não se esfarela, a massa ficou mais leve e, por conseguinte, o pão mais fofinho. Portanto, bastante razoável. Foi o melhor de todos. Mas não posso dizer que ficou maravilhoso. Ficou muito melhor que os anteriores. E hei-de repetir a receita mais vezes.

Curiosa como sou, as minhas experiências já foram além-pão na mfp.

Já experimentei fazer compotas, mas também aí não me convenceu e tive de acabar de fazer o doce no fogão.

Já experimentei fazer arroz doce, seguindo uma receita que vi na net, e ficou uma bela porcaria. Foi direitinho para o lixo.

Bolos nunca fiz e cozinhados nunca me aventurei, apesar de já ter lido muitos testemunhos de quem já tenha experimentado e gostado.

Desde que a comprei, não há praticamente semana em que a mfp não trabalhe.

E sim, faço muitas vezes pão nela, quando o tempo é escasso. Porque é só meter tudo lá para dentro e umas horas depois a máquina apita a avisar que o pão está pronto. E é bom ter pão quente à hora que se quer.

Mas volto a dizê-lo: como máquina panificadora não convence. Agora como ajudante de panificação, só lhe posso tecer os maiores elogios.

Ela é óptima para amassar... poupa-me imenso trabalho.

Graças a ela, descobri a maravilha que é fazer pão no forno cá de casa. Esse sim é uma maravilha. E massas para outros fins culinários, como por exemplo pizzas, sem quase trabalho nenhum.

Por isso não posso dizer que foi um mau investimento. Mas também não posso dizer que foi o melhor.

A máquina acaba por ser muito prática para quem quer ter pão fresco todos os dias, sem ter de levantar o rabiosque mais cedo da cama para ir à padaria. Durante a semana, esse ritual para mim estaria fora de questão porque como alternativa congelo o pão.

Nisso é bom ter uma máquina que dá para programar. Mas deixemo-nos de lirismos, o pão não tem nada a ver com um bom pão de padaria. Atenção que não estou a falar de alguns tipos de pães industriais.

Onde é que uma mfp faz um bom pão saloio, um bom pão alentejano, um bom pão de mafra, etc...?

Pois, não faz, nem pode fazê-lo!

Se experimentarem fazer a mesma receita de pão duas vezes, uma para cozer no forno e outra para cozer na mfp, vejam bem as diferenças.

E bem vistas as coisas, é tudo farinha do mesmo saco!

Não é só o formato do pão que é diferente. O sabor, a textura do miolo, a côdea e até o cheiro, imaginem só, não têm nada a ver.

O modo como o pão leveda no processo de cozedura, num forno e confinado a uma cuba, é necessariamente diferente.

Além de tudo o que já disse sobre o pão feito na mfp, desengane-se aquele que acha que o formato de pão-de-forma é óptimo para fazer sandochas. É do mais mal jeitoso que há.

Não podemos cortar o pão em fatias muito finas, sob pena de vermos desmoronar em pedaços cada fatia à nossa frente.

E cada fatia de tão larga que é, torna-se muito desengonçada para casar com outra igual.

Cá em casa quando quero fazer sandes com o pão da mfp, vejo-me obrigada a cortar cada fatia ao meio e sobrepor as metades. Só assim!

E pronto, com este post acrescento mais um testemunho no mundo da blogosfera sobre a minha relação com a máquina de fazer pão, mais conhecida por mfp.

22 comentários:

  1. Bem, eu nao fiquei melindrada com o teu post anterior nem me senti atingida. E gostei deste texto também.

    A nível dos electrodomésticos por acaso nao tenho feito más escolhas (talvez porque pondere muuuuito antes de os comprar) mas de outros produtos, sim. E como! Nao tenho qualquer tipo de problema em admiti-lo, aliás, jamais recomendaria a alguém algo de que eu própria nao gostasse.

    Quem nao erra?!

    Quanto às MFP, cada um terá a sua propria experiencia e opiniao, também de acordo com as expectativas.

    Esse era um dos electrodomésticos que nao referi mas em que estava a pensar, no meu comentário ao post anterior; o outro era uma iogurteira. Até à data, de TUDO o li a respeito, nao havia NINGUÉM insatisfeito.

    Na MFP nao investiria facilmente, na iogurteira talvez (embora nao esteja convencida que os iogurtes fiquem mais económicos que os de compra).

    Para mim, a tua opiniao foi importante, porque partilhaste a tua experiencia sobre os "detalhes" em que eu tinha dúvidas: consistencia, sabor, etc.

    Obg e um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá Luarte!
    Olha, no meu caso já tive boas e más experiencias com diversas coisas que comprei, em 12 anos já fiz compras que devia e outras que não devia. Quanto à MFP, eu tenho a minha à mais de 2 anos e "não psasso sem ela". Agora, se só faz maravilhas?? Não, já fiz algumas porcarias também.
    Agora, algo que talvez possa ajudar, eu desisti de fazer pão na MFP no programa curto, ou seja, mesmo com as farinhas pré preparadas faço-o no programa "Normal" que é o ciclo mais longo. Demora quase 3 horas mas vale bem a pena pois o pão fica, para o meu gosto pessoal claro, excelente. E deste forma tem-me corrido bem, até no que toca a cortar as fatias, o pão não se tem desfeito.
    O que eu detesto na MFP é a parte em que no fim, temos que retirar as pas e o pão fica com 2 buracos por baixo.
    Ah, as compotas tal como tu, também não me convenceu;).
    E pronto, foi só para dizer qualquer coisita sobre o assunto que mais uma vez gostei de conhecer a tua opinião;).
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Paula M.:Eu sei bem que não ficaste melindrada :) Nem a minha intenção era melindrar alguém, mas apenas exprimir a minha opinião em relação a muitas coisas que leio.
    Se aquilo que disse neste post foi de alguma forma importante em relação a algumas dúvidas que tinhas, então já valeu a pena tê-lo escrito :)

    Vera: Eu faço sempre o pão no programa longo, que na minha máquina leva cerca de 3 horas e pouco. Nunca tentei no programa curto e não tenho sequer curiosidade de experimentar porque por uma questão de lógica o pão nunca terá tempo de levedar bem. De qualquer forma, nestas coisas os gostos são muitos subjectivos. E já tive pessoas a comer do meu pão feito na mfp e a gostarem imenso. Mas uma coisa é comê-lo pontualmente, outra de forma continuada. Seria apenas entusiasmo de estarem a comer um pão feito em casa? Eu senti isso no início, confesso... Seria apenas uma questão de simpatia? Bem... vindo das pessoas em questão não tinham necessidade nenhuma de me agradarem. Seria apenas uma questão de gosto? Acredito mais nesta última hipótese :)
    Em relação aos buracos no pão, desconhecia que havia máquinas com duas pás :P. Se um buraco já é um bocadito chato...
    Obrigada pelo teu testemunho :)

    Beijinhos para vocês :)

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Eu já pensei muitas vezes em comprar uma máquina de pão, mas desde que descobri uma empresa que me deixa o pão á porta, todos os dias sem qualquer custo adicional, desisti da ideia!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. hahah, gosto da forma como te exprimes, gostei particularmente da tua expressão «ficou uma bela porcaria» deu-me vontade de rir, percebe-se (e compreende-se) o teu descontentamento.

    Em relação á MFP não opino porque não tenho, mas tive uma emprestada uns dias para ver como funcionava e não me cativou... nunca comprei e não está nos planos.
    O post anterior, eu concordo na íntegra, e percebo o que pretendeste dizer.

    ResponderEliminar
  6. Realmente estamos em sintonia eheheh!

    Olha Lu, eu sinceramente sinceramente, também perfiro umas bolinhas de "pão verdadeiro" para as sandes e um bom pão caseiro às refeiçoões, mas em falta disso fico contente com o pão que faço eque me dá um bom pequeno almoço. Corto-o às fatias com a faca electrica e consigo cortar mais ou menos uma fatia fininha e direitinha. Já tive um padeiro que me deixáva o pão há porta, mas este fica muito mais em conta.
    Além disso consigo preparar uma pizza, amassar e fazer bolinhas no forno e ... estou contente!
    Mas compreendo perfeitamente o que falas quando dizes que depois do balurdio gasto nisto e naquilo, têm que o fazer valer.
    Estou sempre um passo atrás no que diz respeito a electrodomésticos, não me importo nada. Os preços têm sempre tendência a baixar depois da novidade e assim sei se vale a pena e se realmente me faz falta ou não.

    ;p))

    ResponderEliminar
  7. Epá...andas do contra ;-)
    O que virá amanha???

    Bj

    PS: tou a brincar :))

    ResponderEliminar
  8. Luarte, concordo contigo!
    Eu felizmente não investi dinheiro, pedi uma que ninguém usava! Na minha casa tem trabalhado que se farta.
    Contudo quando tenho tempo, prefiro usa-la só para amassar e fazer bolinhas no forno, sem dúvida que não tem nada a ver!
    Para amassar é sim uma maravilha!
    Vou experimentar a farinha do Lidl.
    Obrigada pela opinião e dicas!

    ResponderEliminar
  9. Lá por casa também há uma MFP...
    o pão que de lá sai, come-se... mas não é a mesma coisa...

    Usei-a continuadamente durante um mês para o pão para o pequeno almoço, pois o padeiro que me levava o pão não o deixava a tempo... e digo que já estava farta daquele pão, mesmo variando as farinhas...

    Experimentei massa para pizza, e essa sim, foi a minha pior experiência... parecia borracha.. ainda vou tentar novamente, mas só quando tiver coragem!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Não posso opinar muito porque ainda só fiz 3 pães e sairam todos bem... não esfarelam, cortam-se bem e a grande vantagem que vejo é poder comer um pão com sementes ou chouriço feito por mim quando me apetece e , come-lo quente. Ás vezes os pães com chouriça que se encontram à venda são uma porcaria e tenho de me sujeitar aos enchidos que eles escolhem...
    Para já satisfeita :)

    Obviamente não vou abdicar do pão caseiro da minha sogra feito em forno a lenha. há uma mistura de 2 farinhas que ela às fezes faz... este sim esfarela-se a cortar... por isso prefiro que ela não misture as farinhas.

    ResponderEliminar
  11. Luarte, a minha tem duas pás e o pão fica "sobre o comprido". Penso que pelas imagens que vi da tua, o pão sai num formato diferente do meu.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Concordo plenamente!!! Também tenho uma em casa mas só para fazer a massa... cozo o pão no forno!

    ResponderEliminar
  13. Eu tenho uma mfp e corto sempre o pão com uma faca eletrica. Corto quando está já arrefecido, muito quente esfarela mais.

    Parabens pelo blog, sou uma leitora assídua :)

    ResponderEliminar
  14. Eu ja tenho ha algum tempo a XXl da Tefal (talves 2 anos?); ate agora estou bastante satisfeita, embora qt a massas pre-feitas, no que respeita á do LIDL misture sempre com farinha para o pão não ficar pesado; adoro a maquina como função de levedar e amassar, mas tb gosto do pão.
    :-)

    ResponderEliminar
  15. Ah!E o pão sai-me melhor no programa de hora e 20, do que no outro!Estranho né?

    ResponderEliminar
  16. Quando fazem apenas a massa e depois moldam as bolas e poem no forno normal usam a mesma receita de massa como se fizessem tudo na mfp?
    E massa de pizza? Usei a tua receita Luarte e correu muito mal. Ficou super líquida... tive de juntar muito mais farinha do que dizia na receita :|

    ResponderEliminar
  17. Framboesa: Tal como tu também tenho uma Tefal, mas não XXL. Trocaste-me as voltas com o teu testemunho. O pão sai-te melhor no programa rápido? Eu nunca tive sequer curiosidade de experimentar esse programa mais curto pelas razões que referi no comentário acima. Fiquei tentada a experimentar...

    Helena: Para as bolinhas no forno sigo exactamente a receita que usaria, caso utilizasse a cozdeura na mfp. Só que selecciono o programa de amassar.
    Em relação à tua má experiência com a massa da pizza não sei que te diga... Será que fizeste tudo direitinho e os ingredientes estavam todos em boas condições?
    Estou tentada a sugerir-te que após colocares a água na cuba coloques o sal, depois a farinha e por último o fermento e o açúcar.
    Por acaso, soube que a Mónica, do blog "Dona de Casa Perfeita", já experimentou a minha receita e saiu-lhe bem. Podes ver aqui: http://www.organizaracasa.com/receita-pizza-caseira.

    Beijocas e muito obrigada pelos temenunhos e opiniões de todas vocês.

    ResponderEliminar
  18. Eu tenho a XL, pq estava com medo que o pão não chegasse!!!LOLOLOL :-) Garganeira cm sou! E sim, o pão sai-me melhor no rápido, não consigo explicar porquê mas cresce mais...já fiz assim umas 10 vezes pelo menos...Hei-de procurar a receita q tenho colada ao livro de receitas á laia de cabula(agora não me apetece que estou a teclar de debaixo da minha mantinha....ehehehehe)

    ResponderEliminar
  19. Luarte.... apesar de já imenso tempo consultar o teu blog (e digo-te que o faço muitas vezes e de onde já tirei imensas ideias maravilhosas)é a 1ª vez que te estou a comentar porque o post que escrevestes sobre a MFP (eu tb tenho)é exactamente aquilo que eu gostaria de já ter escrito e não o fiz talvez para não ser muito do contra...tenho-a há um ano e poucas vezes a utlizei, apenas para amassar....todas as outras tarefas que dizem que fazem nela para mim só pode ser treta...por isso e para te dizer que tens um blog 5* fico a seguir-te pois realmente neste tipo de blogs sempre aprendo alguma coisa.
    Desejo-te um bom fim de´semana esperando continuar a consultar os teus posts porreiros.
    Beijinho/Tuquinha

    ResponderEliminar
  20. Eu também comprei a máquina. e detestei o pão feito lá. Fiquei enjoada do cheiro a fermento qdo me levantei. o pão não é nada pratico para fazer sandes.Não me convenceu nada. já a iogurteira , eu uso sempre , gosto imenso dos iogurtes feitos nela, já os meus filhos, as vezes gostam outras vezes não. Mas esta também foi emprestada tem perto de 30 anos e trabalha muito bem.

    ResponderEliminar
  21. Eu tenho uma Tefal xxl e adoro, porque lá em casa somos todos celiacos e consigo fazer um pão que nem o com gluten fica assim, substituiu a água por água gaseificada, ponho cerca de 30 gramas de psilium em pó. Não uso só a farinha sem glutén já pré-feita porque é quase a mesma porcaria do pão branco sem fibra, é cola pura para os intestinos e uma bela receita para a prisão de ventre, faço eu as misturas ponho imensas sementes trituradas, leva ovos porque cá em casa ninguém é alérgico a ovos, e os ovos não provocam colesterol isso é um mito, ponho óleo de cocô pois o óleo de cocô ajuda o fígado a trabalhar, o pão fica um assombro.Tem fibra, ainda tem a proteína dos ovos. Faço umas vezes com quinoa, aveia mas da que não tem gluten, vendida no celeiro em flocos que eu trituro, noutras vezes ponho farinha de arroz integral que eu também trituro em casa, farinha de xufa, farinha de sorgo, farinha de cânhamo, Aquelas farinhas pré-misturadas têm muitos EEE para o meu gosto muitos deles cancerígenos..Cá em casa não se contam calorias não se ingere nem leite nem seus derivados, poucos hidratos de carbono, açucar népia, proteína carne peixe e ovos, e gorduras de boa qualidade, azeite só no galheteiro para saladas e cozidos e óleo de coco para cozinhar. Muitas sementes muitos frutos secos, ninguém tem excesso de peso e somos super saudáveis.

    ResponderEliminar
  22. Olá pava. Gostaria que partilhasse uma das suas receitas, com os respetivos ingredientes, medidas e modo de preparação. Confesso que fiquei curiosa.
    Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo vosso comentário :)