quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Locais Secretos - Gerês

Assim como grande parte dos portugueses, aproveitei o último fim-de-semana prolongado para fazer umas mini-férias.

Quinta-feira à noite decidimos o destino. Sexta-feira, arrumei as malas. Sábado, bem cedo, rumámos a uma das zonas mais bonitas de Portugal, e onde nunca nos cansamos de voltar: GERÊS.

Já dizia o poeta Miguel Torga acerca deste lugar:

"Há sítios no mundo que são como certas existências humanas: tudo se conjuga para que nada falte à sua grandeza e perfeição. Este Gerês é um deles."

Cada vez que vou ao Gerês, deixo sempre tanto por ver e tanto por fazer.

Sem dúvida que é uma fonte inesgotável de beleza e de segredos naturais.

E muitos desses segredos nem sequer vêm nos guias turísticos.

Desta vez conhecemos...

... o Poço Azul.

O primeiro "secret spot" desta nossa viagem.

Também baptizado por alguns como poço verde.

Estacionámos o carro acima da cascata do Arado, e seguimos pelo estradão.


Ao longo do caminho...


...encontrámos uma casa na árvore.




E borboletas de muitas cores. Gafanhotos e libelinhas azuis, que nos fizeram companhia ao longo do trilho.


A dada altura, depois de já muito caminho feito, perdemos o norte.

O software do GPS do telemóvel do P. deixou de funcionar. E as poucas indicações que eu tinha rabiscado numa folha de papel, não chegavam para deslindarmos o caminho certo.

O outro GPS pedestre apenas nos indicava o local onde nos encontrávamos, as velocidades médias, os quilómetros percorridos, e mais uma série de estatísticas... Valeu-nos a sorte de encontrarmos um grupo de quatro, de Braga, que andava ao mesmo que nós, e a quem nos juntámos.



As mariolas (monte de três pedras sobrepostas que, em certas serras, indica a direcção a seguir) foram de importante ajuda.


Ao fim de 5,5 km de caminho, com o sol bem a pique e depois de muitas subidas e descidas por montes e vales, muito suor e cansaço, eis que surge lindo e mágico o poço à nossa frente.



Sem mais demoras, despimos a roupa do caminho e mergulhámos naquelas maravilhosas águas frias e cristalinas. Um cenário idílico, impossível de ser ilustrado na mais bonita fotografia. Que soberba piscina natural, onde tudo ainda é tão virgem.




Pena foi não termos outro poço igual à nossa espera, no fim dos restantes 5,5 km de regresso.


No dia a seguir foi a vez de fazermos...

... a Fenda da Calcedónia

O trilho existente começa em Covide e acaba neste mítico lugar arqueológico, a Cidade da Calcedónia. Situada no maior cabeço granítico, com altura máxima de 910 metros, fica a Fenda da Calcedónia. O cume só se atinge atravessando uma estreita fenda situada entre duas enormes lages.


Inicialmente, e sem quaisquer indicações do local, julgámos que a fenda seria esta.


Mas a fenda da Calcedónia é uma estreita passagem, com cerca de 150 metros de caminho intrépido e mais de 10 metros de altura. É escura, húmida e fria.


A subida não é nada fácil. Exige destreza e boa preparação física. Só nos apercebemos das dificuldades depois de chegarmos ao sítio.

Não tivessemos nós encontrado alguém natural da zona, e bom conhecedor da fenda, e não nos teríamos atrevido a fazer a sua escalada. Ficaríamos apenas pelo reconhecimento do local e seguido trilho. Que é bem bonito, por sinal.

O sr. Armindo chegou ao local acompanhado por mais 2 pessoas. E nós, mais uma vez, colámo-nos ao grupo.

Arriscámos, porque tinhamos alguém à nossa frente experiente.




Depois de ultrapassado o primeiro obstáculo, já não dava para voltar atrás. Só queríamos chegar ao cimo o mais rapidamente possível e sair dali. A fenda, nas condições em que a fizemos, teve tanto de fantástico como de perigoso.

A adrenalina há muito que tinha disparado. Normalmente estas actividades são organizadas em grupo e implicam várias pessoas a ajudar e que conhecem bem o local.

Mas a vista que se alcança do cimo é de cortar a respiração. E a sensação de liberdade é impressionante e indescritível.



Lá no alto sentimo-nos pequenos perante tanta beleza e grandiosidade.

E durante a nossa estadia ainda tivemos tempo para ir conhecer a ilha do Ermal, em Vieira do Minho, e dar um mergulho naquelas águas mornas. Saí de lá cheia de vontade de voltar e fazer campismo selvagem.



Dias intensos, mas muito bem aproveitados.

Todas as palavras e todas as imagens são poucas. São lugares demasiado comuns para dizerem e descreverem tudo o que senti e vivi nestes dias.

Venham mais lugares secretos :)

30 comentários:

  1. Adoro o Gerês :) desta última vez não faltaram as lagoas, o kart cross e o passeio de barco!
    Anna*

    ResponderEliminar
  2. Também adoro essa zona pois está cheia de lugares fantásticos e maravilhosos, obrigado pela partilha desses belos momentos,


    beijinhos!!

    ResponderEliminar
  3. Adoro o Gerês. Sempre que pudemos vamos lá passear. Mas nunca nos aventuramos como vocês já que eu sou um bocadinho medricas. Só de ver as imagens da fenda fiquei com suores frios.

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida as imagens dizem tudo.
    Eu conheço o Gerês, na minha infância ia lá muitas vezes pois vivia relativamente perto. Por coincidência casei e vivo no sul com um marido que tem família no Gerês e que adora ir lá. Este ano não iremos tal como nos outros, mas sem dúvida que é um sitio que nunca nos cansamos de ver e estar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. OLá! As minhas férias de verão de 2010 foram passadas no Gerês, paisagens lindas. A única vez que nos aventuramos a procurar uma cascata(que já não me lembro o nome) não correu lá muito bem. Com uns papeis de pesquisa da internet e indicações de uma senhora ali da zona, andámos, andámos, andámos por caminhos de "cabras" até que chegámos a um local sem saída. A cascata ou estava seca e passámos por ela ou estávamos no caminho errado. Ao voltar para trás fomos confrontados com 3 majestosas vacas barrosãs que descansavam num bela sombra mesmo no nosso caminho... estava um calor terrível e a zona onde estávamos era muito íngreme. Nem sei como consegui subir o monte para as contornar ... valeu pela aventura, mas nada de cascata! Por isso aconselho que se faça estas aventuras em grupo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Adoro o Gerês e quando posso vou até lá passear, mas não dá para grandes aventuras com um filho de 5 anos, por isso ficamos pelas zonas acessíveis apenas de carro. Adorei as imagens..

    ResponderEliminar
  7. Puxa isso é que foi aventura!
    As imagens são lindas, os locais inacessíveis são sempre os mais bonitos :)

    ResponderEliminar
  8. Que lindas fotos, Luarte! :)
    Já estive tantas vezes no Gerês e nunca estive nos lugares que mostras.
    Tenho que lá voltar ;) Que pena!!!
    Beijinhos e obrigada pela linda reportagem!

    ResponderEliminar
  9. Magnífico relato Luarte. E que belas fotos.
    Como eu gostava de fazer um trilho destes, infelizmente este ano não vou conseguir fazer.
    Ainda à pouco disse ao B. que temos de comprar uma tenda em condições para acampar quando quisermos e assim irmos até ao Gerês e fazer um dos muitos trilhos magníficos.
    Para a semana vou ao Gerês mas como vão os meus pais vamos só mesmo em passeio, sem aventuras :-)
    Beijinhos e continuação de bons passeios ;-)
    Lola
    http://devaneiosdalola.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Que Deus maravilhoso, Que presente lindo! São lugares como estes que nos levam pra pertinho Dele e nos fazem acreditar nas obras de suas mãos.Obrigada por compartilhar. Deixo um convite especial, venha passar no meu blog. gde Bjo.

    ResponderEliminar
  11. Eu também adoro o Gerês! Só é pena a água ser tão gelada, para o meu corpo friorento!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  12. Fotos lindas! O Gerês é qualquer coisa!
    Ando a aproveitar as férias para reciclar 2 móveis, um para tv e outro uma estante/secretária. Dois dias de trabalho e só vamos a meio da parte de lixar o móvel mais pequeno...

    ResponderEliminar
  13. Algodão doce para duas: Essas actividades nunca fiz por lá, mas o que não faltam são actividades diversas para todos os gostos e feitios.

    paula MARIANA: De nada! As coisas bonitas são para partilhar :D

    Filipa: Suores frios tive eu ao fazê-la. Se estava frio lá dentro (segundo dizem) eu cá nem senti nada :P

    Vera: Eu sinto o Gerês como um bocadinho meu. A minha mãe é natural de uma freguesia do concelho de Terras de Bouro. Concelho que abraça esta terra de Portugal. Sempre que posso e que se proporciona, ando por lá :)

    O cantinhodalucy: Adoro turismo de natureza e essas experiências fazem parte do espírito de aventura. O importante é nunca perder a noção do caminho que se fez para trás. Uma estratégia é colocar sinalética feita por nós, quando não existe sinalização que nos possa orientar.

    Marisa Reis: Mais uns aninhos e o filhote já pode entrar em aventuras com os pais :) Enquanto isso fazem-se os programas possíveis. E há sempre tanta oferta em termos de experiências :)

    Bricolar e Poupar: Sem dúvida que os locais mais bonitos são aqueles que acabam por não vir nos mapas :)

    Sara: Sempre que volto ao Gerês tento ir a sítios que não conheço. Os locais mais visitados e turísticos já os visitei a todos.
    Mas há sempre um novo Gerês por descobrir. Já foste às Cascatas do Taithi? :D

    Lola: Para quem gosta de campismo é sempre uma mais valia. A qualquer momento e em cima da hora pode decidir um lugar e não tem de se preocupar com disponibilidade de estadias. É outra liberdade, sem dúvida.
    Boa viagem e bons passeios :)

    Tera: Nestes lugares fica-se mais pertinho do céu e do paraíso :)

    Guidinha: Mesmo!!! :)

    Ana P.: Depois de 5,5 km e de muito cansaço e suor, aquela água fria foi uma bênção :D

    Malas e Sapatitos: O Gerês tem tudo para me fazer feliz, como eu costumo dizer :)
    Com que então, andas nas reciclagens?! Quando se quer fazer um trabalho isso implica tempo e paciência. Mas no fim vai valer a pena, tenho a certeza.
    Bons trabalhos de bricolage :)

    Beijocas para todas vocês***

    ResponderEliminar
  14. Luarte, a minha Sogra também era do Conselho de Terras de Bouro e nós temos lá um terreno para construção :D. Se calhar eram vizinhas, lol. Tenho por lá bastante família da parte do meu marido, Vieira do Minho, Terras do Bouro, etc. Os nomes exactos das terras não sei muito bem lol.

    ResponderEliminar
  15. Amei amei amei o poço!! Vou mesmo tentar lá ir com a famelga agora em Setembro.
    Já o teu outro destino..naaaa, vi muito recentemente o filme 127 horas...e a imagem de lá ficar presa numa rocha toma conta do cérebro por uns tempos ..lol

    ResponderEliminar
  16. Luarte, foi uma aventura e tanto. Que paraisso este lugar!!!

    bjus

    ResponderEliminar
  17. Olá amiga

    Que lugar magnifico , deve ter sido uma viagem linda , obrigada por partilhares, Beijos da xanó

    ResponderEliminar
  18. Sim, o Gerês é o paraíso na terra, sem dúvida e a cada ida encontramos sempre coisas novas.

    Estes passeios cheios de aventura são maravilhosos, mas por cá, tivemos de fazer uma pausa, por que com as crianças não dá, só quando forem mais crescidos. Ficamos pelas piscinas ao pé das termas, que eles adoram :)

    Bom início de semana!

    ResponderEliminar
  19. Que maravilha de passeio! Que boas águas... Também já fizemos essa fenda, mas ninguém me apanha lá outra vez!!! :)

    ResponderEliminar
  20. Obrigada pelas dicas de locais a visitar :) Para a proxima ja sei!
    :)

    ResponderEliminar
  21. ao Gerês já fui e adorei banhar-me também nessas piscinas naturais lindas!!!

    ResponderEliminar
  22. Que lindas fotos. Seu blog é muito bonito! Beijos do Brasil

    ResponderEliminar
  23. olá boa tarde vou deixar o meu comentário porque sou umas das muitas pessoas que partilhamos o mesmo gosto pelo geres. Adorei as fotografias e como alguém disse já estive algumas vezes ai e não estive em todos esses locais mas nada melhor do que ter um cheirinho de imagens para la voltar e tentar explorar muito mais locais.
    Este ano vou lá outra vez mas desta vez em vertente romântica o que me aconselha?

    ResponderEliminar
  24. Olá, anónimo
    Não sei exatamente o que procura. Se estadia ou referência de lugares a visitar.

    ResponderEliminar
  25. Fez campismo selvagem e se sim em que local do gerês foi? Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Susana. Ficámos em parque de campismo, mas ficou o bichinho de voltar e fazer campismo selvagem.

      Eliminar
    2. Olá, Susana. Ficámos em parque de campismo, mas ficou o bichinho de voltar e fazer campismo selvagem.

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo vosso comentário :)