sexta-feira, 29 de março de 2013

Há 5 anos...

...foi assim e não podia ser de outra maneira :)



5 anos feitos de um amor incondicional, de um imenso querer em cuidarmos um do outro, de uma cumplicidade apertada, de uma vida inteira tão cheia de nós...

Beijinhos e uma Páscoa Feliz :)

quinta-feira, 28 de março de 2013

Porque o que tem de ser tem muita força

Mais tarde ou mais cedo eu sabia que haveria de ter a minha. E antes que fosse tarde demais e esta crise não me deixasse comprar mais nada do que de supérfluo e fútil possa existir, pumbas fiz a compra :P

Após pesquisas intensivas encontrei no Ebay do Reino Unido a mala com as características que eu queria e mais algumas, que me fizeram desistir de encomendar a minha satchel a qualquer uma das empresas mais conceituadas e mundialmente conhecidas na venda deste artigo. 

Feito um contacto prévio com o vendedor, para pedir informações e tirar algumas dúvidas, avancei ciente de que se a coisa corresse bem, seria uma boa compra e estaria a poupar significativamente (o dobro ou   quase o triplo, que eu não estava disposta a pagar) em relação às demais, tendo em conta todos os extras que a mala trazia. Se a coisa corresse mal, a mala não chegasse ou não fosse o que eu estava à espera, seriam quase 90 e poucos euros muito mal gastos.

Já depois da compra feita, recebi a informação que o vendedor de terras de sua majestade estava também associado à Amazon e foi por aí que a mala foi expedida. Uma viagem de Inglaterra a Portugal que aconteceu em menos de uma semana e que me trouxe a mala exatamente na data estimada: ontem, 27 de março :)

A minha satchel amarela é mais do que linda. É maravilhosa! :)

Estou babada por ela. Ontem estava para lá de eufórica. 

E como sei que existem algumas pessoas que têm uma paixão semelhante à minha, penso que vale a pena fazer uma breve apresentação dos pormenores que considero mais interessantes e que no conjunto a tornam, em meu entender, muito especial. 

A mala é novinha em folha, toda em pele genuína, muito bem cosida, com excelentes acabamentos. 

Além da alça ajustável, a pega no topo dá-me a opção de a usar tanto a tiracolo como na mão.  



Os fechos magnéticos, para lá das fivelas, sempre foram uma exigência minha e facilitam muito a abertura da mala, sobretudo se temos a necessidade de a abrir várias vezes ao dia.



A aplicação de um fecho zipper torna a mala mais segura, prevenindo incidentes do género a mala virar-se e algum conteúdo mais pequeno cair pelas laterais.


No interior da mala, no compartimento maior, existe um pequeno bolso de fecho e espaço bastante amplo para uma série de coisas, mas tem ainda pequenos bolsos abertos de pele cosidos ao lado uns dos ourtros que me permitem organizar pequenos objectos. 


Por fim, o bolsinho exterior com o propósito de colocar os dados pessoais, dá-lhe aquele toque colegial das malas de modelo mais clássico e que eu acho bem giro.


Ah e optei pelo tamanho 13" (33x25x7cm), um tamanho médio que me oferece espaço de arrumação suficiente.


Sinceramente fiquei impressionada e convicta que fiz uma excelente compra, dentro de toda a oferta que encontrei. 

Agora é usar e abusar dela sem dó nem piedade.

E sabem que mais, não vai ser nada difícil! :)))))

Beijinhos

terça-feira, 26 de março de 2013

O poder do amaciador na limpeza da casa

Há uns meses atrás encontrei, já não sei precisar onde, a informação de que o amaciador da roupa é  excelente para a limpeza de móveis. Registei a ideia e assim que pude experimentei.  

Uma parte dos móveis que tenho no meu escritório são em lacado escuro, tipo wengue, e um dos grandes problemas é manter a limpeza das superfícies.

Antes limpava-os com limpa-vidros ou um multi-superfícies, mas passados uns minutos já ali tinha uma caminha de pó bem à vista e reluzente. 

Para mim este é o grande senão dos móveis escuros. É que se nota toda a sujidade.

Mas há solução e uma solução bem fácil e acessível.

Para quem não sabe, além de dar lustro e lubrificar as superfícies, o amaciador cria uma película capaz de repelir o pó.

O que significa que conseguimos móveis limpos durante muito mais tempo. 

E assim depois de já utilizar o amaciador de roupa na altura de passar a ferro (ver aqui) atualmente uso o mesmo borrifador e a mesma solução para a limpeza dos móveis da casa.


E não é que resulta mesmo!

A solução que já usava na roupa e que passei a usar na limpeza é esta:

Para cada 200 ml de água, junto uma colher de sopa de amaciador (se for concentrado junto uma colher de chá).

E uso em todos os móveis da casa sem exceção. Desde os de madeira maciça aos aglomerados.

Borrifo um pano de microfibras e passo pelas superfícies que ficam livres de pó, brilhantes e sem quaisquer manchas.


Nos móveis escuros noto realmente que o amaciador faz maravilhas. O pó já não se instala com a mesma velocidade como antes. O que significa móveis limpos durante mais tempo. Yuppi!!!! :)

E o cheirinho que fica?  :)

Também já passei a borrifar as carpetes e tapetes assim que as acabo de aspirar.

Com o tempo as fibras têm tendência a ficar ressequidas e àsperas e o uso do amaciador não só perfuma e amacia como cuida da vida dos nossos tapetes, deixando-os mais bonitos e fazendo-os durar mais tempo.

Toda a casa fica limpa, tratada e perfumada :)

segunda-feira, 25 de março de 2013

Considerações sobre sapatos

Quem me conhece sabe que tendencialmente vou para o sapato de cunha. Sobretudo, no calçado primavera/verão.

Tirando algumas exceções, dificilmente sacrifico o conforto dos meus pés pela elegância de uns saltos.

Porque há coisas que não é para quem quer é para quem pode. E saber andar um dia inteiro de saltos é mesmo para quem sabe e pode. E eu que ando rápido... seria uma desgraça meter-me em aventuras numa altura destas. Há riscos que não vale a pena correr :P

No inverno além das cunhas, uso alguns saltos, mais tipo tacão nas botas/botins.

Depois quando vem o tempo seco e quente, são as sabrinas, as sandálias de cunha e rasas que saiem à rua.

Tenho alguns/poucos pares para ocasiões mais formais.

Na última semana, e aproveitando algum dinheiro extra que recebi pelo aniversário, fui procurar uns sapatos para aquelas ocasiões em que quero e me apetece estar mais chique, sem exageros.

Depois de uma insistente prospeção de mercado, arranjei uns peep toe castanhos, em pele, à minha medida e super confortáveis. Modelo simples, clássico, formal q.b., salto pouco exagerado e compensado e ainda acolchoado no interior. 

Sendo em pele e para uso pouco intensivo, conto que estes sapatos durem uns bons anos.



Não sou nenhuma entendida no assunto e nem sequer tenho pretensões de vir a sê-lo, mas é consensual que se pensarmos bem, já aconteceu de certeza olharmos para uma pilha de sapatos, e para nossa tristeza, não haver um par que seja que se adeque ou finalize na perfeição aquela toilette. 

Não é preciso ter dezenas e dezenas de sapatos, mas ter vários de diferentes estilos ajuda muito. Uns sapatos são capazes do melhor e do pior. Não são apenas um acessório, como uns brincos, um cinto ou uma pulseira. Eles têm o poder de enaltecer ou destruir uma imagem.

E porque há sempre uma ou outra ocasião em que uma mulher se quer mais elegante, mais sofisticada, ter pelo menos um a dois pares de sapatos de salto, confortáveis, versáteis, de boa qualidade, num modelo intemporal, não é demais. A escolha óbvia por cores básicas, como o castanho e o preto, são sempre certeiras, já que coordenam com uma infinidade de opções de roupa.

Mas se há coisa que para mim é difícil encontrar são sapatos. 

Porque é que a oferta de sapatos com uma altura decente para gente normal é tão escassa? Modelos giros que só eles, vejo-os às carradas. Só que basta uma pessoa rodar o olho para o salto e.... ok, ou têm enormes plataformas ou são exclusivamente para ladys equilibristas. Tanto num caso como noutro, bastava-me a tentativa de dar 3 a 5 passos seguidos, e em menos de nada "esbardalhava-me" no chão :P 

Outra coisa curiosa, que tenho reparado nos últimos tempos/anos, é a diferença de preços entre sapatos muito semelhantes no modelo, mas completamente diferentes no material de fabrico.

Como é que sapatos feitos de poliéster, poliuretano e outros materiais sintéticos (e que estão longe de serem de qualidade superior), algumas vezes a denunciarem acabamentos pouco duráveis, podem custar o mesmo preço, ou quase, de sapatos de couro?

O meu calçado vai do plástico ao couro. Não é por aí. Mas sei perfeitamente distinguir porque é que uns foram mais caros e outros mais baratos. É uma questão de custo justo.

O couro tem propriedades únicas. Por ser poroso e permeável, permite que os pés respirem e transpirem de forma natural. É flexível, bastante resistente, muito adaptável quer aos formatos como às mudanças que os nossos pés sofrem ao longo do dia (porque incham e desincham). Em suma, o couro à partida oferece mais repouso e conforto do que outros materiais.   

E se dúvidas houver na distinção, o cheiro do couro não engana.

Por isso é que para compras inteligentes uma pessoa precisa de estar de olho bem aberto, ver bem e comparar melhor.

Beijinhos e bom início de semana :)

sexta-feira, 22 de março de 2013

quinta-feira, 21 de março de 2013

Começar na véspera...

No dia do meu aniversário a última coisa que me apetecia era perder tempo na cozinha, mas não queria deixar de assinalar a data com um jantar cá em casa.

A ideia era aproveitar ao máximo o meu dia e perder o menos tempo possível de volta das panelas.

S. Pedro não desiludiu. Acordou-me por volta das 8h15 com um fabuloso dia de primavera.

Às 9h em ponto estava no cabeleireiro para me pôr linda e maravilhosa. 

Cheguei a casa perto das 10h e comecei a preparar o jantar. 

Eram 11h30 e tudo estava no ponto certo. Inclusivé cozinha limpa e arrumada. 

Entretanto, banhoca e vestir-me toda jolie para às 13h almoçar com os meus. 

Depois do almoço, laró. 

Fui-me "vitaminar" debaixo do sol e da luz. Fui passear, espreguiçar e lanchar à beira rio e voltei para casa eram 19h30.

O jantar estava marcado para as 20h30 e com convidados tão pontuais, à hora combinada lá estavam eles a tocar à porta.

Mas qual o interesse deste resumo horário do meu dia?

O interesse não é nenhum, exceto o facto de servir apenas para dizer aos mais céticos e menos otimistas que sim é possível fazer tudo num dia, basta querermos e seguirmos a máxima do "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje".

Assim, na véspera, domingo à noite, despachei tudo quanto podia.

Fiz o bolo. Fiz as entradas que ficaram no ponto de ir ao forno e pus a mesa.

A sobremesa ficou a cargo da minha irmã :)

No dia do meu aniversário, já a noite caía quando cheguei a casa e foi só colocar a comida no forno.

Não perdi tempo com mais nada, não andei a correr, não me cansei, nem stressei e aproveitei até à última gota tudo e todos tal como eu queria que acontecesse.

O segredo é planificar e organizar atempadamente e fazer coisas simples, práticas e saborosas com o máximo de antecedência.

Para o cardápio do meu jantar selecionei duas entradas super fáceis de cozinhar e deliciosas. E são as respetivas receitas que hoje venho partilhar convosco. 


Tâmaras enroladas em bacon

Ingredientes

tâmaras sem caroço
fatias de bacon

Preparação:

1) Cortar as fatias de bacon ao meio e enrolar em cada metade uma tâmara.

2) Prender com um palito e levar ao forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 15 min. ou até tostar o bacon.

Cogumelos recheados (para 14 unidades médias)

Ingredientes

14 cogumelos inteiros
50 gr de bacon
Coentros q.b.
1 colher de sopa de azeite
Queijo ralado q.b.
Oregãos q.b.
Sal q.b

Preparação:

1) Lavar bem os cogumelos e retirar os pés (com jeitinho e com a mão partir o caule)

2) Na picadora triturar o bacon, com os coentros e os pés dos cogumelos.

3) Saltear a mistura no azeite quente

4) Adicionar 2 a 3 pedrinhas de sal no fundo de cada cogumelo e com uma colher encher o interior de cada um até transbordar e polvilhar com queijo ralado e oregãos.

6) Levar a forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 15 min. ou até os cogumelos largarem a água e o queijo estiver dourado.



Para poupar tempo e energia, 30 a 40 minutos antes do jantar, pus o bacalhau com broa e batatas a murro no forno (receita daqui), e aproveitando a temperatura de cozedura, minutos depois coloquei  os cogumelos e as tâmaras em simultâneo.

É verdade que era muita comida junta no forno, mas nenhuma se deu mal. Muito pelo contrário ;)

Beijinhos

segunda-feira, 18 de março de 2013

18 de março

Hoje é o meu dia e que dia que está lá fora :)))))

36 anos de mim e muita vontade de viver todos os anos que a vida ainda me quiser oferecer :)

Com a vossa licença, mas vou ali agarrar o mundo que hoje ele é todo meu!

sexta-feira, 15 de março de 2013

Vitaminar as plantas de forma fácil

Cá em casa de manhã ao pequeno almoço  existe invariavelmente café com leite.

O café é feito na cafeteira italiana de alumínio, a moka. Adoro o cheirinho a café que se espalha pela casa. Adoro ouvi-la assobiar nas manhãs de café fresco :)


Já num post anterior referi que não se deve lavar por dentro estas cafeteiras com detergente. A cafeteira  deve ser apenas lavada com água corrente para não alterar o sabor genuíno do café. Para quem usa estas cafeteiras e tem os cuidados recomendados, sabe que o sabor do café que hoje fazem é melhor que os primeiros cafés que a mesma cafeteira fazia. Basicamente estas cafeteiras são como o vinho do Porto, quanto mais velhas são, melhor café fazem :)

A minha cafeteira tem lugar cativo em cima do fogão. Além de conter café sempre à mão tem um design que adoro. Por isso acaba por ser um objeto decorativo também.


Quando o café acaba, em vez de deitar as borras para o lixo,  despejo-as para dentro do regador das plantas e encho-o de água.


O café diluído em água é um excelente fertilizante para as plantas, ajudando-as a crescer fortes e saudáveis.

Vocês aí em casa podem usar as borras que tiverem mais à mão. Seja destas ou de outras cafeteiras ou mesmo máquinas de manípulo.

Em relação às máquinas que usam cápsulas, também é possível retirar as borras, desde que se tenha tempo e paciência para abrir as cápsulas, mas o procedimento é o mesmo. Trata-se de aproveitar as borras para fertilizar.

Além disso estamos a poupar, a reciclar e a contribuir para a sustentabilidade.

As borras são uma autêntica vitamina :)

E agora que a primavera está à porta, nós queremos que as nossas plantinhas arrebitem do frio e cresçam viçosas.

Existem muitos outros fertilizantes naturais, mas este é o que uso com maior frequência por ser muito prático.

Beijinhos e bom fim de semana.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Grandes Compras (parte II)

Pois nós mulheres somos umas perdidas.

Falo no plural porque são poucas as que não se perdem por compras.

E quando falamos de grandes compras, nós estamos lá :P

Pois que não há uma sem duas. Eu tentei resistir. Juro que tentei. Mas as compras são uma coisa do demo.

E depois recebo e-mails de leitoras como a Carla, do blog Arte e Manha, a dizer-me que quer ir ver o guarda roupa da SP Televisão. Eu dou as indicações, mas afinal nem era preciso. 

Passadas umas horinhas, diz-me que já fez compras muito boas (ah pois fez) e eu aqui em casa a roer-me de inveja e a menos de 10 minutos dos estúdios.

Não dava para aguentar, certo? 

Esta tarde fui à gaveta onde tinha a minha única notinha de 50 euros, que havia sobrado de um presente de Natal (sou tão poupadinha), e lá fui eu para as compras parte II :P

No final, quando estava a pagar, perguntei à senhora que me atendeu se sabia a que personagens tinham pertencido as três peças que levava. Já agora acho curioso saber... E contei-lhe que já lá tinha estado na segunda feira e que uma das calças que tinha levado eram da "Inês", do Dancin' Days. 

Nisto a senhora vira-se para mim e pergunta-me: "você tem um blog e colocou lá as calças?"

Eu respondo intrigada e meio a gaguejar que sim, que tenho um blog e que por acaso falei do evento e postei as peças que tinha comprado. 

A senhora sorridente esclarece: "Sabe, é que já cá estiveram pelo menos duas senhoras que me disseram que tiveram conhecimento do evento por um blog em que a autora mostrou umas calças da "Inês".

Ninguém me paga para fazer publicidade, mas que achei graça à situação, lá isso achei :D

Já agora, se essas pessoas que falaram no meu blog lerem este post, digam quem são, porque quem ficou agora curiosa fui eu :) Eu juro que não bato em ninguém :P

Mas voltando aos trapinhos...

A senhora não me soube identificar com precisão as peças, apesar de achar que o casaco preto de fazenda foi da "Leonor" (Sandra Barata Belo), da novela "Perfeito Coração"; que o parka vermelho deve ter sido de um personagem qualquer da série "Lua Vermelha", e que o vestido talvez fosse da "Luísa" (Sofia Sá da Bandeira), do Dancin' Days. Infelizmente ela não tinha sido responsável pela escolha daquelas roupas em questão.

Bem, não interessa se as roupinhas foram ou não das ditas cujas, o que me interessa é que vim mais uma vez contente da vida com as minhas compras e ainda trouxe troco para casa :)


Não tinha nenhum casaco parka e há já bastante tempo que queria um casaco vermelho. E encontrei o que queria num autêntico 2 em 1. Tenho a certeza que nesta primavera/verão vou abusar dele muitas vezes. Ai se vou :P


No meu roupeiro só tinha um casaco de fazenda curto e já velhote. Todos os outros casacos de fazenda que tenho são tamanho 3/4 ou compridos. Aproveitei e trouxe este que é super quentinho e com um corte super clássico.  


Este vestido, perdi-me por ele assim que lhe pus a vista em cima na segunda feira, mas infelizmente alguém chegou primeiro que eu e só o pude ver na mão de quem supostamente o ia comprar.

Pelos vistos não comprou e deixou-o lá para mim :)

Tem um corte e uma conjugação de cores super vintage. ADORO-o!!!!!


Um vestido não era peça que precisava, mas um vestido é sempre um vestido e nunca há vestidos a mais num roupeiro de uma mulher :P

terça-feira, 12 de março de 2013

Ontem foi dia de grandes compras

Eu cá não sou nada esquisita com lojas e marcas, compro o que gosto e onde existe a melhor oferta qualidade/preço.

Visto sem qualquer problema ou esquisitice roupa usada, exceto roupa interior, desde que a ache gira, esteja em bom estado e limpa.

E ontem fiz belas compras em dois lugares onde não estava nada à espera, mas que me deixaram muito satisfeita. 

Primeiro fui ao LIDL, porque estava curiosa para ver as gabardines que a revista do jornal a DICA tinha em destaque para esta semana.


Pareceram bem giras e o preço era super convidativo. E ainda traziam um lenço extra, olarilas :)

Mas até ver o artigo fiquei sempre de pé atrás, porque uma coisa é ver o modelito na revista e outra bem diferente é vê-lo ao vivo. E recordo-me bem de já uma vez ter visto um modelo no mesmo supermercado, que na revista parecia uma coisa e ao vivo era bem diferente. Corte estranho, acabamentos muito mal enjorcados, cores duvidosas, tecido de fraca qualidade, aquilo não me convenceu mesmo nada. Pareceu-me uma grande banhada.

Mas desta vez tenho de dar a mão à palmatória porque a publicidade não desiludiu.

Nada a apontar aos acabamentos e ao tipo de tecido (pelo menos a que trouxe está impecável). Toda forrada e ainda com bolsos interiores e tudo por apenas 19,99 euros. Fantástico!

Só tem de ser engomada para tirar os vincos, visto o artigo vir dobrado dentro de uma embalagem de plástico.

Comprei a bege para dar com o maior número de peças possível.



Bolsos interiores

Veste muito bem e tem um corte muito elegante. É mesmo gira e em tudo semelhante ao modelo clássico da Burberry. Só não tem o padrão xadrez no interior, porque o exterior é muito parecido aos modelos mais clássicos.




Há muito que gostava de ter um trench coat bege. Mas agora que já o tenha será imperativo usá-lo muitas vezes e acho que não vai ser nada difícil :P É um casaco super versátil porque tanto dá para os dias de chuva e vento como para dias de primavera. É leve e conjuga com imensos e diferentes estilos de roupa.


O trench coat surgiu na I Guerra Mundial (casaco de trincheira) e foi sobretudo imortalizado no cinema por ícones como Humprey Bogart, Ingrid Bergman, Audrey Hepburn, etc... Tornou-se um clássico e desde então nunca mais saiu de moda.


É daquelas peças intemporais que vale bem a pena ter no roupeiro.

Depois do LIDL seguiu-se o evento de venda do guarda roupa das Produções SP Televisão que começou ontem. 

Fui logo à abertura e como acompanhante da minha irmã, porque nem ia a contar comprar nada (apesar de ter sido eu a informá-la da iniciativa). 

Comprei pela primeira vez roupa em segunda mão, apesar de já ter tido e ter algumas peças usadas, doadas por pessoas minhas conhecidas (sobretudo da minha irmã). Se gosto e os outros já não querem, então passem para cá que eu visto :P

Sabia que a compra era a dinheiro e o único que eu levava era uma notinha de 20 euros. Estava só a contar "ver".

Mas foi impossível resistir e não comprar nada. Tanta peça gira a preços tão bons.

É a primeira vez que este evento se realiza e trata-se de vender as peças do guarda roupa das produções da SP Televisão. Neste caso, a maior parte da roupa que está à venda é da telenovela Dancin' Days, da SIC, cujas gravações terminaram há dias.

A minha irmã que é fã nº 1 da novela e sobretudo do guarda roupa da "Júlia" (Joana Santos) não cabia em si de contente. Estava mesmo entusiasmada :)

A iniciativa acaba por ser bastante interessante e engraçada, primeiro porque para quem segue a novela e outras produções televisivas encontra aqui a possibilidade de ter peças que pertenceram a determinadas personagens das histórias de ficção e, por outro lado, é uma oportunidade de comprar roupa e outros acessórios em excelente estado, das mais variadas marcas e a preços muito, muito bons.

Eu só trouxe 3 peças de verão e com estampados fortes para inovar o meu guarda roupa que tende para os lisos ou estampados discretos :)

As peças parecem novinhas de tão impecáveis que estão. Todas cheirosas e etiquetadas com o preço, bem como penduradas em cabides (aquilo até poderia ser tudo ao molho e fé em Deus, mas não era).

E assim vieram um top e uma túnica em cetim, que eu não sei a quem pertenceram:



E umas calças que foram usadas nesta cena pela Inês (Maya Booth), do Dancin' Days.




Trouxe-as por 5 euros :)


E sem contar lá deixei os meus 20 euros certinhos.

Para quem possa estar interessado, e seja de Lisboa ou arredores, este evento vai decorrer até ao próximo sábado, 16 de março. Mais pormenores estão na página do facebook (aqui).

terça-feira, 5 de março de 2013

Flor de Crocus ou Açafrão

Em dezembro comprei alguns bolbos de jacinto e de crocus.

Os bolbos de Jacinto foram oferecidos à avó Nina no Natal (aqui). Os de Crocus ficaram para mim e plantei-os no final desse mês.

É a primeira vez que tenho a Flor de Acafrão em casa e estou maravilhada com a beleza, com a cor vibrante e a delicadeza desta flor.

Esta planta pode apresentar várias cores e tons desde o amarelo, branco, azul, creme, rosa, com riscas, etc... eu escolhi a azul :)



Na sexta feira as flores começaram a despontar


Quatro dias depois (hoje)


São lindas as flores, não são?

Neste momento a Flor de Açafrão é a princesa do meu jardim :)

É também conhecida como a flor que anuncia a primavera. Assim que o frio se vai embora e o sol traz os primeiros raios de calor ela abre as suas pétalas. Se o frio voltar, ela torna a fechá-las até que o sol e o calor a venham de novo visitar.

E porquê Flor de Acafrão? Porque o açafrão enquanto especiaria é obtida a partir dos estigmas amarelos da espécie Crocus Savitus. Esta especiaria é utilizada desde a Antiguidade, principalmente na culinária mediterrânica em molhos, saladas, arroz, etc.... Só para terem uma ideia, para se conseguir um quilo de açafrão são necessárias 150.000 flores.

Eu estou verdadeiramente encantada com esta espécie que pela primeira vez ornamenta a minha varanda :)

segunda-feira, 4 de março de 2013

Bolinhos de coco

Foi há sensivelmente 2 semanas que vi uns deliciosos bolinhos de coco com travo a limão aqui.

Com um aspeto a pedir dentadinhas, não descansei enquanto não experimentei fazer a receita que achei do mais fácil que há.

A única coisa que fiz foi alterar a quantidade dos ingredientes e a qualidade do açúcar.


Ingredientes (para 6 bolinhos)

100 gr de coco
45 gr. de açúcar mascavado
2 ovos
1 colher de sopa de manteiga derretida
1 colher de sopa de sumo de limão
2 colheres de sopa de leite

Preparação:

1) Numa taça ou numa batedeira, misturar todos os ingredientes muito bem e distribuir por forminhas de tamanho médio (optei por forminhas de silicone por serem mais práticas, mas pode usar de papel ou outras)

2) Levar a forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 30 min. ou até os bolinhos ficarem douradinhos.


Fiz os bolinhos num instante e ficaram uma delícia e docinhos q.b. como eu gosto. Ótimos para um lanchinho ou até mesmo para oferecer a alguém. Da próxima vez que repetir vou usar sumo de laranja para variar :)

Beijinhos e bom início de semana para vocês :)

sexta-feira, 1 de março de 2013

Cesto de publicidade

No prédio dos meus pais, como em tantos outros prédios de construção mais antiga, as caixas do correio estão do lado de dentro da porta de entrada.

Para aumentar a segurança, e de modo a evitar abrir a porta um sem número de vezes a gente estranha ao condomínio, há bastante tempo que foi fixado, como em tantos outros prédios que tenho visto, um cesto metálico numa das paredes da entrada, mas do lado de fora. Nesse cesto, muito semelhante ao da imagem seguinte, são depositados os panfletos publicitários. 

imagem retirada da internet

E foi esse cesto, do prédio dos meus pais, que me inspirou a querer qualquer coisa do género para mim.

Um lugar cá em casa para depositar apenas os panfletos que quero ver e ler com mais atenção, que quero guardar enquanto duram campanhas e promoções. 

Primeiro peguei em duas molas de madeira. Desmanchei-as e pintei-as.


Já tinha a ideia bem desenhada na minha cabeça.

Precisava de arranjar um cesto e peguei numa caixa de cereais. A maior que tinha cá por casa.


Feitas as medidas e desenhadas as linhas de corte, a caixa ganhou a boa forma de um cesto de publicidade.


Decidi passar-lhe um primário, apenas para neutralizar um pouco mais as cores e evitar que as mesmas se vissem a posteriori.


E nos minutos seguintes dediquei-me a forrar a caixa com material que já tinha cá por casa.


No interior e fundo da caixa coloquei um retângulo de cartão com as mesmas medidas para reforçar mais a zona.


Entretanto, as molas tiveram tempo de secar e montei-as. Coloquei a todo o comprimento das costas (escolhidas aleatoriamente) de cada uma das molas uma tira de fita cola dupla face, daquela que se usa para fixar quadros, por exemplo.

As molas foram colocadas na cozinha, no lugar que achei mais estratégico para o efeito.

Por fim, foi só prender o novo cesto, como quem prende uma peça de roupa no estendal :)



Esta é a forma simples e engraçada que arranjei para melhor organizar a publicidade por cá. Um lugar específico para a publicidade útil poder ficar.


Beijinhos e tenham um excelente fim de semana :)