quarta-feira, 12 de junho de 2013

A minha maquilhagem do dia a dia

No seguimento do post anterior, do estojo-rolo, a leitora Cor de Chá, dos blogs Terapia dos Tachos e Cor de Chá lançou-me o desafio deste post. Ainda tentei dissuadi-la nos comentários, mas não fui suficientemente boa na argumentação :P

Eu não sou nenhuma entendida em maquilhagem. Não tenho nenhum curso, nem nunca fiz nenhum workshop. Mas interesso-me pelo assunto q.b. e tenho a perfeita noção que alguns truques de maquilhagem podem fazer muito por nós, mulheres.

Com um olho maquilhado e o outro por maquilhar

Diariamente sou adepta de um tipo de maquilhagem natural. Não gosto de excessos.

imagem retirada da internet

imagem retirada da internet

Gosto de uma maquilhagem que conserve as linhas e o aspeto natural do rosto, sem exageros.

Não pretendo com este post ensinar ninguém, porque não tenho pretensões desse género, nem conhecimentos para. Este post é apenas a partilha daquilo que faço e que poderá ser eventualmente útil para outras mulheres que como eu gostam de se apresentar com um aspeto mais cuidado, mais bonito e atrativo e quem sabe podermos trocar ideias e truques que sejam uma mais valia para cada uma de nós.

Passo então a apresentar em 7 momentos esse meu ritual diário.

1º Limpeza, hidratação e proteção do rosto:

imagem retirada da internet

Antes de aplicar seja o que for no rosto em termos de maquilhagem, primeiro faço uma limpeza, depois a hidtratação e, por fim, aplico protetor solar facial. Aqui podem encontrar detalhadamente os cuidados diários que dispenso com o meu rosto quer de manhã, quer à noite, todos os dias do ano.

2º Aplicação da base: 


imagem retirada da internet

Como tenho a sorte de ter uma pele boa, sem borbulhas, sem espinhas, sem oleosidades, etc... não costumo usar diariamente base. Uso de vez em quando. Gosto da líquida e gosto da base em pó. Quando uso a base em pó, aplico com pincel ou uma esponjinha. Quando uso a líquida, aplico com  a ponta dos dedos alguns pingos de base no rosto, como na testa, maçãs dos rosto, queixo e depois vou espalhando, sempre da zona centro para o exterior, com ligeiras batidas, sem esquecer a zona abaixo da linha do queixo. Neste tipo de base prefiro utilizar os meus dedos porque espalho melhor o produto e o rosto também fica com um aspeto mais natural. No fim é que passo o pincel para uniformizar, mas já depois da base ter sido aplicada e espalhada.

3º Aplicação de corretor:

imagem retirada da internet

São mais as vezes que salto o segundo momento e passo logo para este. As olheiras, aquela zona escura abaixo dos olhos, são o meu calcanhar de Aquiles. Ao acordar lá estão elas a dar o ar da sua graça e a dar-me a mim um aspeto cansado logo pela manhã.

Gosto de utilizar corretor líquido. Com o próprio aplicador coloco alguns pontinhos de corretor na zona mais escura e espalho com os dedos com ligeiras batidinhas, incluindo os cantos internos dos olhos. Se tiver usado base, coloco o corretor a seguir.

Faço também uso do mesmo corretor para disfarçar alguma manchinha, sinal, etc., na pele. E uso-o como primer quer nas pálpebras, como nos lábios. Tanto num caso, como noutro, o objetivo é que tanto as sombras como os batons se fixem melhor, durem mais tempo e as cores fiquem mais pigmentadas e não desmaiadas.

4º Aplicação de sombra:


No dia a dia utilizo preferencialmente uma sombra castanha com algum brilho, mas pouco, e uma sombra rosa clara mate. Aplico por toda a pálpebra móvel a sombra rosa e depois a castanha só na parte externa do olho, fazendo um ligeiro esfumado. A finalidade é criar um olho mais rasgado, mais expressivo e mais atraente. A ideia é apenas criar ali uma zona mais escura, mas natural. Depois com um pincel achatado e chanfrado e com a mesma sombra castanha delineio os olhos, sempre do exterior para o interior do olho.

pincel fino e chanfrado

A delinear com sombra castanha a zona logo abaixo da linha de água do olho

Gosto preferencialmente de usar a sombra como delineador na pálpebra móvel porque fica um aspeto muito natural e não desenhado, como ficaria com um lápis ou um eyeliner líquido. Muito fácil e rápido de aplicar, não há risco de ficar mal feito. Por vezes também utilizo a sombra castanha para corrigir ou preencher alguma falha nas sobrancelhas com o mesmo pincel chanfrado. Fica muito natural e nada desenhado.

5º Aplicação da máscara:

imagem retirada da internet

Umas vezes aplico preta, outras castanha. São as minhas cores preferidas no dia a dia, embora goste de usar também na cor azul ou verde noutras alturas. Aplico de modo a levantar as pestanas superiores e a deixá-las reviradas e inclinadas na zona externa do olho. Se vir que há pestanas coladas ou com grumos, antes que a máscara seque, passo a escovinha própria para ficarem impecáveis.

6º  Aplicação de bronzer, blush e iluminador:

imagem retirada da internet

Se apliquei base, uso obrigatoriamente o blush, o bronzer  e o iluminador no rosto. Senão fico com cara de morta-viva :P

O blush dá aquele ar mais rosadinho e realçado às maçãs do rosto. Quando aplico o blush ponho um sorriso rasgado na cara para que as maçãs sobressaiam e seja mais fácil perceber a zona onde devo aplicar o pó.

O bronzer tem por objetivo afinar e definir o rosto a partir da criação de zonas sombreadas. Gosto sobretudo de aplicar na linha abaixo das maçãs para ficar com um rosto mais alongado e fino, já que o meu é bem redondo, e na zona por baixo do queixo, para minimizar o papinho :). Quando aplico na linha abaixo das maçãs do rosto, faço boca de peixe e assim torna-se mais fácil determinar a zona côncava.

O iluminador serve para realçar ou destacar certas zonas do rosto e torná-lo mais iluminado. Normalmente só aplico na linha logo abaixo da sobrancelha, na zona exterior do osso das bochechas, e acima do lábio superior (zona V).

Na imagem, as zonas escuras  indicam as zonas estratégicas recomendadas para a aplicação do bronzer ou pó bronzeador; as zonas claras do iluminador.

Senão apliquei base, isto é, se saltei o 2º momento, só faço uso do blush e tudo o resto dispenso.

 Aplicação do baton:

imagem retirada da internet

Primeiro hidrato os lábios e depois aplico um baton dentro dos tons mais rosados ou mais terra. A ideia é ficar com uma boca bonita mas natural. Quando quero que dure várias horas, e há tempo para isso, coloco o tal corretor que servirá de primer, desenho a boca com um lápis labial no tom rosado dos meus lábios  e aplico o batom com pincel.  O lápis labial da cor dos meus lábios serve para qualquer tom de batom que possa usar e nunca se destaca na boca. Fica mais bonita e mais carnuda, mas nunca fica aquela boca desenhada que não gosto nada. A aplicação do batom quando feita com um pincel é mais precisa, preenche melhor e de forma mais uniforme os lábios e evitam-se desperdícios de batom. 

FIM

Este é o meu ritual de maquilhagem natural do dia a dia.

Esta lista parece longa, mas garanto-vos que diariamente não levo mais de 8 a 10 minutos com o  ritual de preparação do rosto e aplicação de maquilhagem.

Nos dias mais festivos ou naqueles momentos em que me apetece estar mais produzida dou asas à criatividade e faço realçar um pouco mais a maquilhagem. Afinal, festa é festa :D

Beijinhos e até ao meu regresso :)

terça-feira, 11 de junho de 2013

O estojo-rolo e outras considerações

Quase, quase a ir de férias lembrei-me de fazer um género de estojo para levar e organizar os meus pincéis e lápis de maquilhagem em vez de os espalhar ao acaso dentro de uma bolsa.


Ainda não há muito tempo, quando ia de férias, não ligava patavina aos produtos de maquihagem. Tirava férias de todas as coisas mundanas e era o despojamento total.

Isso pode ser muito bom e bonito desde que não faça grandes registos fotográficos da minhaa pessoa, em modo retrato. Sim, porque a câmara fotográfica não terá qualquer clemência. Portanto, se não quiser arriscar demasiado o melhor é explorar a fotografia paisagística ou de natureza. Só!

Digo isto, porque já tive alturas, em que no meio de dezenas e centenas de fotos, eu não gostava de me ver em nenhuma. Era azar a mais? Não. Hoje chego à conclusão que era cuidado a menos.

Podemos não ser lindas e perfeitas. Umas autênticas musas e top models. Mas podemos ter bom ar, verdade? E esse bom ar é-nos dado em grande parte pela aparência do nosso rosto. 

Aliás, é nas férias que a maior parte de nós se dispõe a tirar mais fotografias. Queremos perpetuar os lugares, os momentos os sentimentos que vivemos em imagem que trazemos connosco em forma de recordação. Geralmente gostamos de partilhar essas recordações com familiares e amigos.

Mostrar um rosto leve, fresco e fofo é diferente de mostrar um rosto amarelado, cansado e com olheiras. E infelizmente eu não tenho naturalmente e todos os dias um rosto leve, fresco e fofo. Gostava, mas não tenho :P

É nisso que a maquilhagem é verdadeiramente poderosa, porque é capaz de realçar e valorizar os nossos pontos fortes, e  corrigir, esbater ou minimizar as nossas imperfeições e defeitos.

Longe de servir para criar um rosto demasiado plastificado, artificial e embonecado, a maquilhagem pode ser feita de forma natural, com o único propósito de criar boa aparência e a ilusão que se está com o mínimo de maquilhagem possível ou mesmo sem qualquer maquilhagem. 

E foram estas triviais constatações que me levaram a alterar certos hábitos quando vou de férias.

Hoje levo comigo o mínimo de maquilhagem que considero indispensável para me ver ao espelho e gostar do que vejo, esteja de férias ou não. 

E a verdade é que também já consigo mais facilmente encontrar fotografias onde gosto de me ver :)

Mas voltando ao meu estojo de lápis e pincéis...

Para a sua criação, inspirei-me no seguinte vídeo:


E ei-lo prontinho para seguir viagem daqui a uns dias :)





Beijinhos e boa semana :)

segunda-feira, 10 de junho de 2013

O poder da ilusão

Ontem de manhã, e com o tempo tão cinzento, eu e o P. ficámos por casa a fantasiar.

A brincadeira consistiu em montar dois pequeninos dragões de papel.

Primeiro o verde, depois o vermelho.


Os dragões são seres mitológicos que habitam o nosso imaginário desde a infância, mas são também protagonistas de uma das mais incríveis e interessantes ilusões de ótica.

O termo "ilusão de ótica" aplica-se a todas as ilusões visuais construídas pelo nosso cérebro que se traduzem em enganos, levando-nos a ver coisas que não existem ou a vê-las de forma errada ou distorcida.

Uma pequena pesquisa foi tudo quanto bastou para conseguirmos os "templates" coloridos do mais famoso dragãozinho de papel.

São as dobragens e colagens no papel (ver aqui o tutorial) que criam em nós a ilusão que o nosso dragão 3D mexe a cabeça de um lado para o outro e de cima para baixo, seguindo-nos com o seu olhar, sempre que nos deslocamos.

Aqui trata-se de uma ilusão ótica que explora a relação entre o ângulo côncavo e o ângulo convexo da nossa visão.


Este casal de dragões já foi batizado.

Tenham então o prazer de conhecer, sobre a estante do nosso escritório, o Farrusco e a Fuligem :)

video

Uma pequena brincadeira que anima e causa perplexidade em adultos e crianças.

Acabadinhos de nascer, os nossos pequenos dragões de estimação acompanharam-nos ao almoço de família. Achámos arriscado deixá-los em casa sozinhos. Digamos que era no mínimo chato voltarmos e termos a nossa casinha em cinzas. 

No almoço não houve leite creme com açúcar queimado, nem maçã ou banana flambé. Os nossos  bicharocos nunca chegaram a cuspir fogo. Como maçaricos não têm futuro. Mas ainda assim fizeram imenso sucesso. Do alto da cristaleira da avó Nina, portaram-se como verdadeiros guardiões e ninguém ficou indiferente a estas criaturas mágicas que não tiravam os olhos de nós ;)

Beijinhos e bom feriado :)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Descobri o maravilhoso mundo das tranças

Sempre gostei de tranças embutidas e torcidos no cabelo.

Mas até há bem pouco tempo sempre achei que um cabelo médio/pequeno estava condenado. Dificilmente se conseguiria fazer alguma trança de jeito.

Estava redondamente enganada. Além de existirem imensas opções de penteados, as tranças embutidas conferem muitas vezes a dimensão e o comprimento que o cabelo não tem.

E só para que fique registado só há pouco mais de 1 mês e meio aprendi a fazer uma trança embutida a mim própria neste género.


O meu cabelo não tem este comprimento, mas dá na mesma :)

Felizmente existe o youtube e com os tutoriais em vídeo é muito mais fácil percebermos o que somos ou não capazes de fazer e aprender que muitas das coisas que achamos complicadíssimas, afinal são muito mais simples do que julgamos.

Entretanto descobri um blog em que autora partilha tutoriais de cabelo simplesmente maravilhosos. E percebe-se claramente que ela adora tranças pelo número de versões de penteados que as incluem.

Há muitos, muitos outros blogs que partilham penteados, mas o que mais me fascinou no blog da Melissa Cook, "My Soul is the Sky", não foi só o facto dela gostar de tranças e explicar de forma simples e muito acessível as dicas e truques que utiliza para construir os seus lindos e charmosos penteados com elas. Mas, e sobretudo, porque depois de já ter visto todos os tutoriais em imagens e vídeos que ela tem no blog, perceber que o tamanho do cabelo da Melissa nunca foi impedimento para nada. Atualmente o seu cabelo ultrapassa bastante a linha dos ombros, mas ela já o teve muito acima também.

Melissa Cook, My Soul is my Sky

Já experimentei alguns dos seus tutoriais. Em alguns não me saí muito bem à primeira. Mas com algum treino e persistência eu chego lá ;) Há outros que resultaram logo na perfeição e que adorei. Simplesmente adorei. 

Tudo isto para dizer que estou cada vez mais apaixonada por tranças e torcidos. Ficam lindos em cabelos soltos, em cabelos presos, mais arranjados ou despenteados, em looks mais descontraídos ou formais. Há um sem número de penteados com tranças e o difícil é escolher de qual eu gosto mais :)











Imagens retiradas da internet

E vocês gostam de tranças?

Beijinhos e tenham um excelente fim de semana.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Coisas que nos marcam

Há 20 anos comprava os meus primeiros ténis All Star. Azuis e de bota.

Depois dos azuis vieram os cinzentos.

Foi usar até gastar e rasgar.

Os meus All Star marcaram momentos importantes com pessoas e em locais. 

Foram presença assídua em muitos concertos e festivais.

Estiveram no primeiro Super Bock Super Rock em Portugal.

Passados 20 anos, volto a comprar uns All Star. 



Já não são de bota. Mas trazem as marcas da irreverência e da adolescência que guardo dentro de mim.

Beijinhos

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Simplesmente... Tiramisu

Sábado fiquei incumbida de levar a sobremesa para o almoço.

Não queria fazer nada de difícil, que me roubasse muito tempo. Na cozinha sou sempre assim, seja com doces, com salgados, com entradas, pratos principais, etc...

Gosto que as coisas se façam depressa e bem. Na minha cabeça, a verdadeira magia culinária acontece desta forma. Perdendo pouco tempo a cozinhar ou a preparar e o resultado deixar marcas indeléveis no paladar. Aquelas marcas que nos provocam sensações de prazer que se espalham pelo corpo todo a cada colherada ou garfada. 

Depois de pensar em várias sugestões de sobremesa para 8 pessoas, saiu um Tiramisu.


Uma sobremesa tipicamente italiana, cujo nome significa "tirar para cima".

Tratando-se de uma sobremesa por camadas, estas devem ser retiradas de baixo para cima, para que não falhe nenhuma no prato onde é servida. 

Existem inúmeras variações da receita original, mas basicamente esta sobremesa consiste em camadas de biscoitos de champanhe ou palitos La Reine embebidos em café, no meio de um creme suave à base de queijo mascarpone polvilhado de chocolate amargo.

A preparação não leva mais de 15/20 minutos. Mas a sobremesa deve ir ao frio várias horas, antes de ser servida (no mínimo 4 horas). 

E o paladar? Só mesmo comendo para se saber ao que sabe e ao que se sente quando se prova :)

Ingredientes:

1 embalagem de queijo mascarpone (250 gr.)
4 ovos
6 colheres de sopa de açúcar
1 cálice de rum (50 a 60 ml)
200 a 300 ml de café forte
palitos La Reine (q.b)
Chocolate negro em pó (q.b.)
Chocolate negro ralado (q.b)

Preparação do creme:

1) Separar as gemas das claras e bater as primeiras com o açúcar até obtermos uma mistura esbranquiçada.

2) Juntar a pouco e pouco à mistura anterior o queijo e metade do rum e continuar a bater até a massa se apresentar suave e lisa. 

3) Por fim envolver delicamente as claras, previamente batidas em castelo firme, no creme de queijo. 

Montagem da sobremesa:



1) Num prato fundo verter o café já frio e acrescentar a restante metade do rum.

2) Molhar os palitos no café, apenas a face açucarada, e cobrir o fundo de um tabuleiro retângular de vidro transparente. Os palitos devem ser dispostos com a face açucarada virada para cima, de modo a que o café escorra e se espalhe pelo resto dos palitos. Estes devem ficar moles, mas não encharcados, sob pena da nossa sobremesa ficar líquida.

3) Por cima espalhar queijo creme até tapar os palitos e polvilhar com chocolate em pó.

4) Repetir camadas, no mínimo duas de cada um dos ingredientes, até terminar com uma última camada do creme mascarpone (no tabuleiro que utilizei fiz 3 camadas de palitos e 3 camadas de creme de queijo, mas tudo vai depender do tamanho e da profundidade do nosso tabuleiro).

5) Terminar polvilhando com raspas de chocolate amargo e levar ao frio durante várias horas.

Beijinhos e um excelente início de semana para vocês :)