terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Apertar roupa da forma mais simples

Seja por que perdemos peso e a roupa ficou larga, seja por causa da qualidade das fibras do tecido e a roupa alargou, há maneira de se conseguir apertar algumas das peças sem recorrer ao corte e costura.




Foi isso que fiz há dias com umas calças de ganga, uma camisola e um vestido de malha, estes dois últimos com grande percentagem de poliester.

Peguei nas 3 peças do avesso e pu-las a lavar na máquina na temperatura mais alta (90ºC) e no ciclo mais longo. 

A seguir peguei nas peças, sempre viradas do avesso, pu-las em cima da tábua de engomar e coloquei-lhes um pano liso de algodão em cima, secando-as sem esticar com o ferro na temperatura média/baixa e sem vapor.

O processo de encolhimento pode ainda tornar-se mais fácil se tiverem uma máquina de secar roupa.

O que eu fiz foi ir deliberadamente contra as etiquetas, contra instruções de lavagem e tratamento destas peças de roupa.

As peças reduziram cerca de um tamanho em relação ao tamanho anterior e ficaram muito mais ajustadas ao corpo.


Claro que é preciso ter cuidado, se usarmos esta técnica com alguns tipos de tecido. As peças 100% algodão, lã e linho, por exemplo, podem encolher demais quando lavadas a altas temperaturas. Peças de tecidos mais delicados, como a seda, podem ficar estragadas. Peças mais velhas e sujeitas a muitas lavagens poderão ser completamente resistentes a esta técnica de encolhimento.

Peças em poliéster normalmente são bastante resistentes a temperaturas elevadas. No entanto, porque o poliéster contém  plástico, se a água estiver muito quente, pode derreter e deixar o tecido rígido e impossível de se usar. Por isso é recomendável que a água não vá acima dos 100ºC.

Para mais informações podem consultar aqui e aqui.

Nota: Chamo a atenção para o facto deste post traduzir a minha experiência pessoal e os resultados a que cheguei. Caso alguém esteja interessado em experimentar esta técnica é importante saber que os resultados podem variar (em função das peças de roupa, da máquina, da temperatura, do ferro, etc...).

Beijinhos

6 comentários:

  1. Bem precisava de encolher quase todo o meu guarda roupa. Só não preciso encolher as últimas peças que comprei. Mas não sou nada amiga dos poliésters. Já pensei em costuras mas não vai voltar a ficar igual nunca por isso a opção é dar a quem precisar. As peças que até ficam engraçadas oversize, uso. Calças, saias vai tudo...aos bocados que não há orçamento! :D

    ResponderEliminar
  2. Esta técnica de encolhimento não se aplica apenas aos poliésters mas a uma variadíssima gama de tecidos. Há é que ter mais cuidado com uns do que com outros. Eu exprimentei com estes e esultou. Por isso faço contas de voltar a repetir com mais umas quantas peças que tenho :)

    ResponderEliminar
  3. Já usei esta técnica algumas vezes. Na grande maioria resultou. Também já aconteceu numa ou outra vez o resultado ter sido dramático :(

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim é verdade que tem de se ter algum cuidado e há sempre o risco dos resultados não serem os desejáveis. Por isso é importante saber com que materiais estamos a lidar, evitando dissabores desnecessários.
      Beijinhos e obrigada pelo teu testemunho :)

      Eliminar
  4. Sabes, já tinha pensado fazer isto a algumas peças mas tive medo que encolhessem demais, Depois de ler o teu post lembrei-me de um casaco (trench coat) com muitos anos, que me foi oferecido... um número acima do meu e num bege muito feio. Resumindo: arrisquei, correu bem. Encolheu exactamente um número, agora vou tingi-lo de azul escuro. Como o corte e a qualidade são bons, merece o pequeno investimento. Ganho um casaco novo por poucos Euros :)

    Obrigada, um beijinho

    ResponderEliminar
  5. Encolhi 3 camisolas de lã na máquina de lavar, programa normal a 40º e 1000 rotações, na companhia de roupa normal e habitual. Ficaram impecáveis, tal como eu queria. Foi um mero acaso mas que correu muito bem!

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo vosso comentário :)