quarta-feira, 26 de agosto de 2015

A Cereja

Vamos lá a uma adivinha...

O que é que tem nome de fruta, mas tem patinhas e gosta de dar muitos lambijinhos?

Quem é que adivinha esta? 

Pensem lá!

Está difícil?

Não chegam lá?

Ok, eu ajudo e ofereço a resposta.

A Cereja. A minha cadelinha. A minha canita. A minha nova companheira :)


Em tempos já tinha manifestado na página do blog, no Facebook, esta minha vontade de ter um cão  e cheguei a pedir referências de Associações que cuidassem dos animais com carinho e lhes oferecessem condições condignas de higiene e tratamento.

Há algum tempo que eu e o P. tinhamos o projeto de adotar um animal. Criar uma relação emocionalmente estimulante com um companheiro de 4 patinhas. Não tenho dúvidas que os animais nos ensinam imenso e nos tornam pessoas melhores em todos os aspetos. Por diversas razões tinhamos uma predileção por cães. Animais super inteligentes e muito fiéis ao seu dono. 

Essa vontade foi ganhando corpo e força ao longo do tempo e sobretudo ao longo deste ano. Obviamente que existiam imensas dúvidas e receios.

Ter cão dentro de casa, num apartamento é totalmente diferente de ter um cão num quintal. Além disso, é ter agora a preocupação de levar o cão à rua. Ter cuidados redobrados com a limpeza da casa. Ter que arranjar mais tempo para dedicar ao animal, brincar com ele, ensiná-lo, mimá-lo, educá-lo. É ter de assumir toda uma nova dinâmica familiar. É ter vizinhos em cima e em baixo e dos lados que temos acima de tudo que respeitar em qualquer altura, e mais ainda quando se tem um cão. É aumentarmos a família e assumirmos as responsabilidades dessa decisão. Porque querer um animal não pode ser o reflexo de uma vontade que vai e vem. Não pode ser um capricho porque é muito giro e querido e tudi e tudi no início, mas depois dá muito trabalho, despesas e queremos ir de férias... e nós não estamos para isso... e agora vamos despachá-lo, descartá-lo como se fosse um objeto, uma coisa. Este é um compromisso para o resto da vida que deve ser encarado com grande seriedade. Todos os animais merecem ser respeitados, acarinhados e bem tratados em qualquer altura, em qualquer idade, em qualquer fase da sua vida. 

Todas estas questões foram sendo faladas e discutidas cá em casa ao longo do tempo e foi amadurecendo em nós, sem precipitações, este projeto muito sério, esta ideia de ter cão.

Sempre esteve fora de questão comprar um cão, quando há tantos animais abandonados a precisarem de ser adotados. Até porque normalmente os animais de rua, os animais que estão em abrigos/canis já passaram por muito e tudo o que eles precisam é de um lar para serem felizes. Então porque não adotar? Porque não valorizar a vida de um animal, mudar-lhe o destino, transformar a carência em carinho e amor, a rejeição e o abandono em companhia, alegria e aceitação?

A poder escolher um cão procurávamos um de porte pequeno, meigo e jovem adulto. Não nos interessava que tivesse a raça x ou y. Podia ser um rafeirola qualquer. 

Ao contrário da maior parte das pessoas que procura cachorrinhos, porque são mais fofinhos, mais pequeninos, nós não faziamos de todo questão que fosse cachorro, embora tivessemos recebido conselhos de várias pessoas que um cachorro seria muito melhor, porque era mais fácil criarmos laços com o animal e o animal connosco. Com maior facilidade ensinavamos um cachorro e evitavam-se chatices de animais com traumas e maus hábitos, etc... Sempre achei estes argumentos muito falaciosos, porque cada animal tem o seu temperamento, mas tem também grande capacidade de adaptação. Porque não dar uma oportunidade a quem dela procura? Além disso, os cachorros muito mais facilmente são adotados em detrimento de cães adultos.

Posto isto, há alguns meses atrás passei a ser seguidora de algumas associações de animais. E foi assim que conheci e fui acompanhando as notícias e novidades da AdoroMimos, uma associação que desde o primeiro dia me transmitiu confiança e um grande amor pelos animais.

Fui conhecer a Cereja na passada quinta-feira e nunca mais me saiu da cabeça. No sábado voltei com o P. e nesse dia veio connosco para casa para um período de experimentação.

Desde o primeiro dia que esta cadelinha nos conquistou o coração. Já não me imagino sem ela. É de uma fofura que não se pode.

É uma jovem cadelinha da raça portuguesa podengo. Muito inteligente, enérgica, esperta, brincalhona, dócil e meiga para com toda a gente. Está neste momento a aprender quase tudo, mas é uma aprendiz de mão cheia.


Tem 1 ano e mais qualquer coisa.

Estava para abate quando a Associação AdoroMimos a foi buscar.

Cinco dias de convivência e já nos arrebatou o coração. Nunca pensei que a adaptação fosse tão fácil e que me apaixonasse e derretesse por esta bichinha num estalar de dedos.

É muito bem comportada. Aprende tudo muito rápido. É uma companheira exímia e vê-se o quanto está super feliz. E claro nós também :)

Entrei num mundo novo, no mundo canino. Tenho ainda tudo para aprender e só espero estar à altura de poder ser uma dona de raça :)

Conto com a ajuda de quem tem canitos. Sim, a vossa ajuda. Não há nada como a voz da experiência :) Obrigada.

28 comentários:

  1. Oh é tão lindaaaaa. Tudo de bom para ela e para vocês.
    Sim vai haver dias que é preciso uma pacienciaaaa (quando decidem fazer xixi naquele tapete) mas vale tão a pena. Sao a melhor companhia.
    Eu tenho a minha Mia, é o bébé ca de casa, até dorme conosco :)
    Passa la no blog para a conheceres... tem a tag Mia :)

    [Desabafos e Coisas]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! :)
      Já fui espreitar a tua Mia. É muito gira e elegante o raio da rapariga :)
      Esta não tem permissão para dormir connosco embora tente de todas as maneiras.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Não é por acaso que te sigo; porque me identifico e gosto de ir aprendendo também contigo. Mas agora .... arrebataste-me o coração e fiquei a gostar de ti (ainda que virtualmente)!!! Bem vinda ao mundo dos defensores e cuidadores dos nossos amiguinhos de 4 patas!! Tudo de bom nesta nova etapa e que acima de tudo te enriqueça.Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu a pensar que já gostavas de mim :)

      Eliminar
  3. Este teu post deixou-me mesmo muito feliz, fizeste muito bem em trazer uma amiguinha do canil, e é tão gira, vejo que te esmeraste na escolha da cama, bem...a Cereja encontrou o lar que merecia. Temos dois quatro patas que também não foram comprados, fazem parte da família, Picasso de 5 anos com 10 kg e Matisse de 4 anos com 50 kg, cada um com a sua personalidade, e apesar de termos quintal, eles vão lá brincar, mas o lugar deles é em casa e é aqui que dormem, como eu disse atrás, fazem parte da família e nunca serão abandonados, pois nutrem por nós um amor incondicional. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela é que me escolheu a mim e não houve como recusar :) A cama é uma velha mala que tinha já cá por casa e que agora vou reciclar para a tornar mais leve e mais mimosa para a Cereja. Obrigada por me apresentares os teus 4 patas. Ter quintal ajuda muito ainda assim espero fazê-la muito feliz nos passeios e em tudo o que tenho para lhe dar.
      Estou completamente apaixonada por esta bichinha e ainda mal aqui chegou.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Oh que linda!!! A capelinha e a tua atitude. Ter um animal é tudo o que referes aqui e muito mais. Vais adorar muito mais tê-la nos vossos dias. Vão haver situações chatas, momentos até que se vão questionar se tomaram a opção certa, mas no final esse amor tão puro e genuíno que ela vai trazer aos vossos dias vai compensar tudo. Aqui em casa temos duas meninas, uma delas apanhada na rua em muito mau estado. Dão imenso trabalho e muitas vezes chateiam-nos tanto. Mas já não nos imaginamos sem elas 💜. Bem vinda ao mundo canino. Felicidades para a doce cereja e para a sua nova família!! Beijinho 🍒

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu comentário e partilha da tua experiência. Os cães são dos animais mais extraordinários que conheço. Sei que vão existir momentos menos bons, mas faz parte de qualquer relação. E esta eu desejo que seja para a vida. Beijinhos

      Eliminar
  5. Coisa mais fofa... É maravilhoso ter animais, ensinam-nos tanto.
    Já nem imagino a minha vida sem a minha Kiara.
    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela está aqui há dias e já me tem ensinado tanto. Espero que sejamos sempre grandes companheiras :)
      Beijinhos

      Eliminar
  6. É linda! Excelente escolha, muitos parabes! Que seja vossa companheira durante muitos e longos anos! Miminhos para a Cereja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim o espero. Que seja a morte que nos separe! Beijinhos

      Eliminar
  7. carla oliveira27 agosto, 2015 09:50

    Ola...bem depois de estar a escrever um texto a felicitar-vos pela adocao da Cereja com uma Rita de 2 meses ao colo e ter perdido tudo ao submeter, tenho que resumir dizendo que a vossa vida nunca mais será a mesma mas será sem dúvida bem melhor. Se precisares de ajuda canina dispõe. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla! :)
      Obrigada pelas tuas palavras e disponibilidade em dar sugestões e dicas a esta dona verdinha em folha.
      Um beijinho grande para ti e para a tua Ritinha e muitos lambijinhos da Cereja.

      Eliminar
  8. Sabes que sou toda defensora de animais, que já fiz voluntariado e acompanho várias associações de animais. Portanto, muito obrigada pelo testemunho e pelo exemplo. Desde pensar e decidir até à adoção em associação.
    Em relação à adoção de cachorro ou cão já adulto, diz-me a experiência de quem já mediou adoções, que adotar cães adultos tem inúmeras vantagens: para quem não tem tempo ou paciência para passar pela fase do cachorro bebé que rói, estraga, não controla os xixis, ainda tem muito a aprender e isso exige tempo, dedicação e paciência, um cão adulto é brincalhão sem precisar de roubar os sapatos e roer os tapetes, ou já sabe ou aprende mais rápido a questão das necessidades, tem maior capacidade de adaptação e isso facilita a aprendizagem das novas rotinas... e por terem noção dos maus tratos e abandono, são do mais meigo e grato que há à nova família que lhes devolveu a vida. Quando mediei adoções de cães eu questionava logo os potenciais adotantes sobre o tempo e paciência disponível para um cachorro. A maioria acabou por optar por cães adultos e estão até hoje felizes da vida.
    Eu pessoalmente sou mais gatos, logo em casa eram três, passaram a quatro. O aspirador é o meu melhor amigo, e sim, aspiro a cozinha todos os dias, já que é o espaço onde eles estão mais tempo e têm as suas instalações. Tenho a sorte de ter uma cozinha enorme que permite eles terem os seus espaços: é as alcofas, a zona de refeições, a caixa da areia, o ginásio com caixa de brinquedos. Pelo branco, pelo preto, tanto faz a cor dos tapetes, é aspirar os pelos e escová-los. Tenho o aspirador pet care da rowenta. É o meu melhor amigo na luta contra os pelos.
    Muitas felicidades à Cereja. Ela é linda. E adoro a cama dela ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pandora! :)
      Eu sei que és super defensora dos animais e tens uma doração enorme pelos gatinhos :)
      Relativamente à tua experiência eu só posso confirmar que pela minha experiência, que se resume a esta que estou a ter agora, que a Cereja é extremamente agradecida pelo lar e pelos donos que agora tem. Tem-se portado lindamente cá em casa. Fez no primeiro dia um xixi cá em casa mas já estava à espera que isso acontece. Afinal de contas o animal está num ambiente estranho. Não toca em nada que não sejam os seus brinquedos. E eu que ando sempre com fios de portáteis e de carregadores à mão de semear. Não a atraem os sapatos que também estão completamente à disposição. É super bem comportada. E é de uma ternura infinita connosco. Como não ficar rendida a esta bichinha!!!
      Desconhecia que existiam aspiradores pet care. Eu bem digo que é todo um novo universo que agora começo a conhecer. Hei de pesquisar.
      Obrigada pelo teu testemunho e pelas sugestões deixadas.
      Cada vez me convenço mais que não é boa política trocar uma carpete por outra. Além disso esta foi-me bem cara, é de muito boa qualidade e aspira-se muito bem. Tem é o defeito de ser muito escura e a Cereja ser muito clara :P
      A caminha dela é uma mala velha que outrora comprei na feira da ladra e decorei com autocolantes com imagens vintage, a lembrar uma mala muito viajada.
      Agora lembrei-me dela para caminha da cereja, mas hoje já a reciclei para a tornar mais mimosa para a minha princesa. Num dos próximos posts eu mostro.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Ora bem, vou comentar neste post, mas estive a ler o teu da limpeza e dei uma vista de olhos nos comentários. O aspirador uso diariamente na cozinha, sim. No resto da casa, durante a semana, passo a mopa em microfibra (http://www.textilespongal.com/wp-content/uploads/1120001.jpg) que apanha muito bem pelos e limpa pequenas manchas (as marcas das patitas quando eles transpiram, e é só aspirar a microfibra e ao fim de smn pôr a lavar. O aspirador que te falei é pequeno, não é se saco, mas também não é de água: tem um reservatório com filtros laváveis, que é só despejar no caixote do lixo e voltar a encaixar. http://www.shopping.cz/data/eshop_online/product/195138/vysavac-rowenta-ro5396oa-compacteo-ergo-cyclonic-animal-care.jpg
      Traz uma escova própria para carpetes e estofos que é o máximo a aspirar. Uso-a inclusivé para aspirar as almofadas das suas camas. ;)
      Comprei o aspirador na Media Markt e não chegou a 120€.

      Eliminar
    3. Obrigadíssima pelas referências e sugestões :)
      Beijinhos e lambijinhos nossos.

      Eliminar
  9. Adoro! Ela é mesmo mesmo gira! :D Já sabia que ias arranjar um cão assim. :) Eu também adoro a Ginja da qual já sabes a história. Queria escrever muito mais mas estou com preguiça e vou escrever agora no post das limpezas... :p

    ResponderEliminar
  10. Olá Luarte,
    Muitos Parabéns pela linda decisão. A Cereja é linda!...
    Acho que cães ou gatos são bons para compania em apartamento, mas depende da disponibilidade dos donos.
    Um cão temos de trazer à rua diariamente mas se formos de férias, pode ir para um hotel ou para casa de algum familiar ou amigo que lhe dê festas, mimo e o leve a passear.
    Um gato já é mais complicado, é preferível ficar em casa dos donos e alguém lhe trate da comida e areia (mas também se arranja).
    Já disseram e, concordo na integra... A vida com um animal nunca mais será a mesma... Mas dão-nos tanto... De certeza que não te vais arrepender.
    A minha experiência e mais de gatos... Dos que tenho neste momento (já há dois anos), ela foi apanhada da rua (branquinha com olhos azuis); ele fui buscá-lo há Associação Francisco de Assis em Cascais, é amarelo tigrado e só tem um olhinho (fiz questão de adoptar um gato que não fosse perfeito, pois são os que ninguém quer...). Apesar das brincadeiras as vezes também se zangam um com o outro, mas no geral dão-se bem. E quando não estou fazem companhia um ao outro...
    Não os trocava por nada... Fazem parte da familia, já me habituei a aspirar mais vezes e a ter cuidado com os pelos na roupa.
    E o melhor de tudo... Era alérgica a gatos... O meu primeiro gato era persa e nunca tive alergias e com estes também não tenho alergia nenhuma... Fiquei curada.
    Desculpa o longo comentário.
    Bjs... E festinhas para a Cereja... =)
    Teresa C

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresa! :)
      Obrigada pelo teu comentário.
      De facto os patudinhos são companhias incríveis. Esta que tenho cá em casa virou a minha sombra. Segue-me para todo o lado aqui em casae é de uma ternura e meiguice que só ela!
      Que experiência tão boa essa de alguém que tinha alergia a gatos :)
      O meu marido é asmático. Nos últimos anos as coisas têm andado muito bem controladas e não tem tido crises nenhumas. Tem alergia a gatos, razão porque nem sequer ponderámos adotar um gato.
      Por causa do pêlo e do problema dele evitamos que ela se meta no sofa ou suba à cama. No primeiro dia tentou, mas como lhe foi negado o acesso não tentou mais. É esperta e muito inteligente. Gosta imenso de estar na caminha dela.
      É verdade que os cães requerem maior disponibilidade por parte dos donos. É necessário levá-los à rua, gastar tempo com eles. Agora estou de férias, mas quando começar a trabalhar implica que tenha de levantar o rabo mais cedo da cama. Há toda uma nova dinâmica familiar que se altera. Mas é tão bom ter um animal destes. São incríveis e dão-nos imenso, pedindo tão pouco em troca.
      Beijinhos e muitos lambijinhos da Cereja :)

      Eliminar
  11. Luarte, adorei a tua atitude de adotar! Deviam haver mais pessoas como tu, mereces tudo de bom! :)

    ResponderEliminar
  12. A vossa atitude é de louvar , a canita Cerejinha é LINDA e a caminha vintage dela é um must :D
    Como sabes tenho dois gatitos e adoro ,ambos foram resgatados da rua .
    É uma despesa extra ,é mais trabalho ,mas em contrapartida dão nos tanto .
    Gostei muita da Cerejinha
    bjs
    Lulu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Lulu! :)
      É verdade, os patudinhos dão-nos imenso.
      Numa semana muita coisa se alterou nas minhas rotinas. Um cão é diferente de um gato. É mais dependente e precisa de ir à rua. Mas tem sido uma experiência maravilhosa.
      Beijinhos e muitos lambijinhos da Cereja! :)

      Eliminar
  13. Parabéns pela decisão de adoptar, gostava que mais gente pensasse assim, com o coração. Fico à espera de mais relatórios da Cereja! :)

    ResponderEliminar
  14. Não sei como se pode abater animais.
    Simplesmente não sei!!
    Devia ser proibido por lei!

    Parabéns pela cereja.

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo vosso comentário :)