segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

A simplicidade de umas pintinhas

Na minha modesta opinião pintar as unhas é a bem da verdade maquilhar os dedos.

Esta ideia levou-me a inventar e a pintar efetivamente as unhas e um bocadinho dos dedos, numa maquilhagem muito discreta.

A pintura nos dedos não é para durar. Com a lavagem das mãos e a fricção da pele acaba por sair ao fim de algumas horas ou no fim do dia, tal qual a maquilhagem que usamos no rosto.

Apeteceu-me inventar para aquela ocasião em particular. Foi o que foi!


A ideia era levar para aquele jantar uma manicure diferente e embora discreta a minha maquilhagem de dedos não passou despercebida. 

Uma ideia tão simples que foi muito apreciada por quem reparou e ousou opiniar ;)


Escolhi para cor das unhas um tom nude, o Cappuccino da Risqué.

Depois das unhas secas foi só colocar uma pintinhas de verniz branco com a ajuda de um palito. Esperei que secassem e passei um top coat.

Depois reproduzi as pintinhas na falangeta dos dedos anelares.

Fiquei assim com umas unhas e dedos a fazer lembrar uma fusão de café com leite, desenho tribal ou pintura indiana.


Eu, que até nem sou apreciadora de grandes desenhos artísticos nas unhas, gostei mesmo da simplicidade com um toquezinho de irreverência das minhas pintinhas :)

Beijinhos e boa semana.

domingo, 9 de Novembro de 2014

De ramelas nos olhos...

(imagem retirada da internet)

Esta manhã ainda de ramelas nos olhos consulto o e-mail e leio os comentários que me deixaram no post anterior. 

Vou ao blog e seleciono todos eles e em vez de clicar em publicar, clico em eliminar.

Bolas!!! Olha Luarte, se lavasses a cara antes de fazer qualquer outra coisa, era o que fazias de melhor.

Peço desculpa à Adelaide Araçai, Lúcia Silva, Maria, Paula_2700 milhas, Li e Mó cujos comentários eliminei. Nenhum deles foi censurado, mas a minha azelhice domingueira deu-me para isto.  

Agradeço as palavras de cada comentário deixado, mas infelizmente não os consigo recuperar por "mea culpa".

Grata pela vossa compreensão e paciência com esta cabeça com rama de "nabiça".

Beijinhos e bom fim de semana.

sábado, 8 de Novembro de 2014

O drama dos collants esburacados

Eu para estragar collants sou um Ás.

Novinhas em folha, de lycra opacas, e portanto supostamente mais resistentes que as de vidro e de seda, não andam calçadas mais do que duas vezes sem que ao fim desse tempo não apareçam esburacadas.

A questão é que estrago as meias sempre no mesmo sítio. Exatamente na ponta dos dedos dos pés.


Não se percebe este fenómeno quando ando sempre de unhas muito bem aparadas.

A solução que encontrei para as meias novas é calçar primeiro um par de meias invisíveis, daquelas que se usam em sabrinas e calçado do género, e só depois visto as collants.


As meias invisíveis continuam invisíveis e as collants têm resistido sem incidentes.

Uma solução simples que me tem poupado as meias. Adeus buracos!

E no inverno ter um reforço térmico nos pezinhos sabe sempre bem :)

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Fazer lixívia em spray

Para limpeza, desinfeção e agente clareador de superfícies continuo a optar pela tradicional lixívia.

Embora seja um produto tóxico e abrasivo a verdade é que ainda não encontrei nenhum outro produto com o mesmo poder, eficácia e rapidez na ação de limpeza.

Uso a lixívia de forma muito moderada e uma embalagem de 2 litros dá-me para imenso tempo.

Há uns meses, e para facilitar a limpeza de algumas superfícies, decidi fazer lixívia em spray.

Embora existam à venda muitos produtos em spray com lixívia, a verdade é que eu só precisava de lixívia em spray. E fazer o produto em casa  é super fácil e barato. 


Basta juntar num borrifador a mesma quantidade de lixívia e água. 

Quem quiser pode ainda adicionar uma pequena porção de detergente da loiça ou ainda uma essência para cortar com o cheiro forte da lixívia.

O spray que fiz há meses tem durado e na embalagem apenas juntei lixívia e água.

Assim que me apercebo que a cortina do banho começa a ganhar pintas de humidade, basta borrifar a zona e passados uns segundos adeus humidade e nada de manchas no tecido.

Nos dias de limpeza dos w.c.'s gosto também de borrifar as paredes interiores da sanita e o tapete anti-derrapante que tenho na banheira.

Também o escorredor da loiça assim que começa a ganhar humidades passo-o com o borrifador e em pouco tempo as manchas desapareceram. Depois é só passar muito bem por água para voltar a ser usado em segurança.

Esta opção da lixívia em spray tem-se revelado muito prática e eficaz, não só porque consigo limpar lugares mais inacessíveis utilizando este método, como me poupa tempo já que não preciso de esfregar e, por fim, acaba por ser um produto muito económico, quando feito em casa.

Importante é identificar muito bem a embalagem para que se evitem acidentes graves.

Beijinhos e boas limpezas.

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Creme antirrugas low cost

Foi no início de junho que soube da boa nova e que tentei logo encontrar o maravilhoso creme antirrugas.
Bem sei que as promessas que a publicidade destes cremes vendem não passam disso mesmo. Segundo os dermatologistas, para o combate às rugas é mesmo preciso injetar produtos que preencham o tecido que se perdeu e provocou o sulco. O que existem são cremes que evitam melhor a perda de água, funcionando como excelentes cremes hidratantes a retardar o aparecimento das rugas.
A notícia que vos falo é esta:
"O creme de rosto anti-rugas Q10 do Lidl, comercializado sob a marca Cien, foi considerado o mais eficaz no combate às inestéticas rugas, segundo uma análise levada a cabo pela DECO Proteste.
Apesar de o creme do Lidl custar “cerca de 25 vezes menos do que o creme mais caro do teste – Lâncome Rénergie Multi-Lift, em média, são €3,49 contra €86,61”, o Cien foi considerado o mais eficaz no combate às rugas em laboratório.
A DECO seleccionou 13 cremes de dia que anunciam um efeito anti-rugas e incluiu ainda na análise dois produtos hidratantes, que revelaram melhores resultados do que alguns dos produtos mais caros em teste. “Quatro semanas depois, as diferenças só se notaram com um sofisticado equipamento óptico, capaz de reproduzir imagens a três dimensões. As diferenças entre o antes e o depois não foram visíveis a olho nu para a maioria das 450 mulheres” que testaram os produtos, explica a Associação de Defesa dos Consumidores."
Fonte: http://www.hipersuper.pt/2014/06/03/creme-anti-rugas-do-lidl-e-o-mais-eficaz-diz-a-deco/
(imagem retirada da internet)
A verdade é que por 3,49 euros valia a pena investir neste creme. Não se perdia muito.
Assim que o apanhei nas prateleiras (coisa difícil aviso já) enfiei-o logo no carrinho de compras sem ler mais informações na embalagem.
Já em casa testei e gostei logo da primeira aplicação. Cheirinho bom, textura ótima, absorção rápida. 5 estrelas. Aprovado. Passou desde essa altura a ser o meu creme de dia. Sei que também existe na mesma gama o creme de noite, mas para creme de noite continuo fiel ao Nivea da lata azul.

A pele tem andado bonita, macia, suave e luminosa. Muito bem hidratada :)
Sempre que vou ao LIDL e vejo o piqueno trago um boião de reserva. Não faço coleção, mas são mais as vezes em que o creme se encontra esgotado (porque será?)
E vocês já experimentaram? Que opinião têm acerca do produto?

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Calçar entre o feminino e o masculino

Há cerca de 20 anos tive umas botas estilo militar e um ano depois uns sapatos picotados estilo Oxford. Ambos os estilos meio arrapazados que gosto muito de ver em raparigas e mulheres versáteis. Usei-os até à exaustão. Até se gastarem. Adorava-os. 

Como as modas são cíclicas estes modelos estão de volta e pululam nas montras, nas revistas e online. 

Gosto imenso de ver as botas com calças de ganga, de tecido, calças arregaçadas, com vestidos, com saias. Usadas com uma blusa ou outra peça mais delicada e feminina fazem toda a diferença no resultado final. Com um blazer criam um contraste entre o feminino e o masculino muito interessante. Este estilo de botas marcam a diferença, dando um ar mais descontraído e simultaneamente irreverente. São imensas as combinações que se podem fazer.


Também acho que os sapatos ficam giros giros com calças de tecido, de ganga, assim como com saias e vestidos. 

As botas estilo militar

Botas da Mango (A/W 14/15)



(imagens retiradas da internet)

Os sapatos estilo Oxford

Sapatos da Pull&Bear (A/W 14/15)





(imagens retiradas da internet)

Este fim de semana fui experimentar as botas da Mango. Gostei mas acabei por me embeiçar por outras. 

Numa fusão entre as botas estilo militar e os sapatos Oxford eu soube logo que aquelas botas haviam de ser minhas. Um perfeito casamento, um perfeito 2 em 1, a combinar com quase tudo. São descontraídas, versáteis, estilosas, práticas, mega confortáveis, de boa qualidade e diferentes de todas as botas que tenho.

Acredito piamente que neste outono/inverno vamos ser muito amigas.





E vocês também gostam destas misturas ou nem por isso?

Beijinhos 

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Leite Vegetal de Aveia caseiro

Já aqui tinha dado conta que um dos meus próximos objetivos era tentar fazer o meu leite vegetal em casa.

Não só por ficar significativamente mais barato, mas também pelo facto de poder reduzir a quantidade de açúcar que estes leites de compra têm na sua composição.

Na primeira experiência tentei fazer leite de arroz. Pesquisei algumas receitas, tentei adaptar, comprei o arroz integral, experimentei fazer o leite em casa e ficou uma boa porcaria. 

Durante uns dias não pensei mais no assunto até que voltou a vontade de tantar nova receita.

Para segunda experiência resolvi aventurar-me no leite de aveia. A experiência foi melhor mas ainda assim senti que precisava de fazer uns reajustes aqui e ali para ficar no ponto em que queria. Penso que consegui :)

A última versão que fiz convenceu-me :)


Rica em cálcio, proteína, ferro, magnésio e vitaminas do complexo B, a aveia possui ainda um alto teor em fibras.

Em termos de qualidades nutricionais é de fácil digestão, melhora a flora intestinal e todo o funcionamento digestivo. Por conter fibras solúveis é um importante auxiliar no controle da glicemia, sobretudo em pessoas diabéticas. Ajuda também a controlar os níveis de colesterol e triglicerideos e melhora a circulação sanguínea. Pode ser ainda um bom aliado para quem procura perder ou controlar o peso.

Vamos então à receita caseira do leite de aveia:



Ingredientes:
(para 1 litro de leite)

50 gr. de flocos de aveia integrais
1 colher de café de extrato ou aroma de baunilha (líquido ou em pó)
1 collher de café de sal marinho (não refinado)
1 colher de açúcar mascavado granulado
700 ml de água morna
300 ml de água fria.

Preparação:

1) Colocar os flocos de aveia dentro de uma liquidificadora e acrescentar 700 ml de água morna e sal marinho.

2) Bater a mistura de ingredientes durante cerca de 2 minutos.

3) Usar um coador largo e de rede fina e coar o leite para um recipiente largo de vidro.

4) Passar novamente o leite coado para dentro do liquidificador, que entretanto foi passado por água para eliminar qualquer vestígio de aveia, e acrescentar a água fria, o açúcar e o extrato de baunilha. Voltar a emulsionar a mistura.

5) Verter o leite para uma garrafa de vidro e guardar no frigorífico. Agitar bem antes de beber.

O leite conserva-se em perfeitas condições durante cerca de 1 semana.

Fica bem mais barato do que os leites de compra e a receita é fácil e rápida de fazer.

A aveia coada não vai fora. Normalmente adiciono em sopas.

Se tiverem outras receitas de leites vegetais igualmente fáceis e já testadas por vós, agradeço imenso a vossa partilha.

Beijinhos e boa semana :)

sábado, 18 de Outubro de 2014

Paixões de armário

Ai como é difícil encontrar aquele par de calças de ganga perfeito, que assenta que nem uma luva e não custa uma fortuna.

Nos últimos saldos de inverno comprei o par. Digo o par, porque embora tenha outros pares, eu passei a usar quase em exclusivo aquele. Para mim estes jeans são perfeitos. São modelo skinny, mas não demasiado elásticos e colantes ao corpo (não gosto nada de me sentir aprisionada em calças). São suficientemente folgados e criam-me uma silhueta que me fazem sentir giraça. Por isso só podem ser perfeitos :)

Foram meses a fio a usar e a abusar deste par de jeans, quase como se não tivesse mais nenhum para vestir. 

Bom, no início de setembro decidi comprar um par novo. Experimentei vários modelos em algumas lojas, mas não cheguei a comprar... nenhum me fez aquele chamamento: Oh leva-me, leva-me contigo!

Acabei por ir à Mango e voltei a experimentar o mesmo modelo a que me rendi por altura dos saldos de inverno. Só escolhi outra cor de lavagem da ganga. No provador simplesmente pisquei o olho e disse-lhes: Oh pá... não há hipótese, gosto mesmo de vocês :)

E foi assim que vim de lá toda contente, confiante e determinada com mais um segundo par de calças de ganga, modelo Alice.




Jeans modelo Alice
(imagens retiradas da internet)

Agora Mango tu livra-te de me partires o coração e um dia destes fazeres desaparecer as Alice para dar lugar a umas Vanessa, Mariana, Leonor, etc...  Até podem ser modelos futuros muito giros, mas sabes como é, uma pessoa apaixonada não tem olhinhos para mais ninguém ;)

Vocês também são assim quando gostam muito de uma peça? Partilhem lá as vossas paixões com esta vossa confidente ;)

Beijinhos

sábado, 11 de Outubro de 2014

Motivos da ausência

Eu sou apenas mais uma, entre milhares, que este ano tem andado ao sabor destas trapalhadas todas da colocação de professores.

Ora estou colocada e inicio todo um novo ano letivo numa nova escola, com tudo o que isso implica (inteirar-me da forma como funciona, conhecer alunos, pais, colegas, arrancar com o trabalho que é sempre mais difícil quando não se é colocado a 1 de setembro). E ao fim de 3 semanas de trabalho sem qualquer pré-aviso, vejo a minha colocação anulada.

Não vou dar grandes explicações sobre o festival de colocações dos professores que o Ministério de Educação decidiu inventar este ano. Quem vê televisão, ouve a rádio, lê jornais e usa a internet anda minimamente informado desta macacada que é do mais bizarro que já assisti e vivi na qualidade de professora contratada desde 2000.

Neste momento já estou noutra escola e voltei à estaca zero. Espero que o Ministro da Educação me deixe ficar aqui até ao fim. Preciso urgentemente de tranquilidade, tudo aquilo que não tenho tido no último mês. 

Esta é a razão porque tenho andado ausente do blog.

Não tenho tido tempo, nem disponibilidade mental para escrever.

Este ano, e pela primeira vez, sou inteiramente responsável por alunos com necessidades educativas especiais. É outro registo que espero conseguir responder à altura. Tentarei dar o melhor de mim como profissional e como pessoa. Tenho consciência que a minha responsabilidade para com estes alunos é gigantesca.

Assim que possa, e tudo esteja mais calmo, voltarei.

Beijinhos e até muito em breve.

sábado, 20 de Setembro de 2014

"O que está a envelhecer a mulher moderna?"

A p*, querida e ancestral leitora do Ideias Debaixo do Telhado, partilhou comigo a intervenção da Francisca Guimarães, do blog Miss Kale, no TEDxOPorto, 2014.

Nunca tinha ouvido falar da Francisca Guimarães, nem sabia da existência do seu blog, mas o tema que trazia despertou-me desde logo curiosidade: O que está a envelhecer a mulher moderna?

Achei muito interessante esta intervenção, não por trazer informação que não soubesse, mas por abordar e tratar de um assunto tão importante e que deveríamos ter sempre presente na nossa mente: a beleza e a juventude do nosso corpo vem de dentro e não é apenas um fenónemo exterior. Sermos jovens durante muito tempo, não tem a ver estritamente com a idade, com a passagem do tempo, mas está intimamente associado àquilo que comemos e ao estilo de vida que fazemos. 

A sociedade em geral come cada vez mais alimentos vazios, alimentos processados que mais rapidamente nos levam ao envelhecimento e à doença do que à saúde e à juventude.

Importa lembrar sempre que aquilo que comemos hoje tornar-se-á no nosso corpo de amanhã.

Não acho que este tema se aplique só às mulheres, porque se trata de um tema transversal a ambos os sexos e a todas as idades. 

Pela importância do tema e porque me parece um assunto de interesse geral, partilho convosco a intervenção da Francisca Guimarães:


Obrigada p* :)